Afinal, o que é inibidor de apetite?

A sensação de fome é fundamental para regular a ingestão da quantidade adequada de energia para mantermos o funcionamento do metabolismo. No entanto, ela não pode ser desmedida, porque isso levaria a uma alimentação excessiva, desencadeando diversos problemas. Para controlar essa função orgânica, temos o suporte do inibidor de apetite.

Ele atua no organismo controlando o desejo ou a necessidade de comer. Contudo, justamente por isso, é fundamental que seja administrado do jeito certo, afinal, o corpo precisa do alimento, pois garante a ele os nutrientes fundamentais para o equilíbrio das suas funções.

Para entender mais sobre a atuação do inibidor de apetite no n organismo, conhecer quais alimentos provocam a sensação de saciedade e os cuidados que é preciso ter com eles. Continue lendo!

O que é um inibidor de apetite?

Um inibidor de apetite é toda e qualquer substância que venha suprimir a vontade de comer, seja diminuindo o apetite, ou fome, ou pelo aumento da saciedade e plenitude após o consumo.

Ele atua diretamente em alguns tipos de receptores e hormônios como GLP-1, grelina e TRPV1, que controlam a energia orgânica, a ansiedade, saciedade e outros. O inibidor provoca reações químicas fazendo com que você tenha menos vontade de comer, o que leva a reduzir as porções de alimento ingeridas. Além de, manter sensação de saciedade por mais tempo.

É interessante saber que o desejo, a vontade de comer, a fome ou o apetite são estimulados por diversos fatores orgânicos. Eles interagem de forma direta ou indireta com essa necessidade de ingerir alimentos. Além disso, estão associados ao armazenamento de energia. Esses fatores são de origem:

  • neural: relacionados aos sinais periféricos que atuam sobre o sistema nervoso central;
  • endócrina e adipocitária: relacionados às flutuações do balanço energético, tendo como elementos de controle, principalmente, a leptina e a insulina;
  • intestinal: relacionados à absorção e presença de alimentos no trato gastrointestinal, o que regula a energia, bem como modula o apetite e a sensação de saciedade.

Portanto, o inibidor de apetite pode atuar no organismo de diferentes formas, trabalhando todos esses fatores. Além dos inibidores farmacológicos e nutricionais, também existem os físicos, como a cirurgia bariátrica, que reduz a capacidade de ingerir alimentos.

Quais alimentos inibem o apetite?

É fato que existem alguns alimentos que retardam o esvaziamento gástrico provocando uma sensação de saciedade maior. Isso se relaciona com as suas propriedades físico-químicas, como a viscosidade, que provoca esse efeito.

Entretanto, não podemos falar especificamente sobre um alimento que atua como inibidor de apetite. Na verdade, o termo correto é nutriente ou fármaco. Assim, a redução da fome e a sensação de saciedade são influenciadas pela composição do alimento.

Por exemplo, o café. Uma das substâncias encontradas nessa bebida é a cafeína, sendo que ela tem um efeito inibidor do apetite, não especificamente o café. Afinal, existem versões descafeinadas que não têm o mesmo efeito no organismo.

Para aqueles que não gostam de café, existem os suplementos de cafeína, responsáveis pela inibição do apetite também. Portanto, estamos falando de uma substância, não do alimento, e isso é válido em todos os casos.

Existem diversos fitoquímicos bioativos que são derivados de plantas, muitas delas presentes em nosso cardápio rotineiro, como:

  • Allium sativa L. (alho);
  • Capsicum annuum L. (pimentas/pimentão);
  • Piper nigrum L. (pimentas);
  • Camellia sinensis L. Kuntze (chá verde).

Não podemos esquecer o já citado Coffea sp (café), bem como o Fucus vesiculosus L., encontrado na forma de medicamento, sendo extraído de uma alga.

De toda forma, você pode acrescentar ao seu cardápio alguns alimentos que têm um processo de digestão mais prolongado ou que, por sua composição, ajudam a prolongar a sensação de saciedade, como:

  • aveia;
  • pera;
  • amêndoas;
  • batata doce;
  • tofu;
  • linhaça;
  • vegetais folhosos.

Não se esqueça de que eles ajudam também a manter um cardápio mais saudável e equilibrado, porém, se o seu objetivo são resultados efetivos, o ideal é optar por uma substância ou suplemento inibidor de apetite.

Quais são os remédios naturais mais indicados para inibir o apetite?

Encontramos diversas substâncias e medicamentos disponíveis no mercado que prometem atuar como inibidor de apetite. No entanto, é fundamental que você tenha muito cuidado com eles, bem como com dietas ou a recomendação de um alimento em especial para controlar a fome.

Isso porque são veiculadas muitas meias verdades, e não é raro que elas não tenham um embasamento científico em suas afirmações. Por isso, a recomendação médica é a utilização de compostos ativos que são comprovados pela ciência com a propriedade de inibir o apetite, como aqueles que citamos no item anterior.

O inibidor de apetite apresenta algum risco?

A perda de peso ou o controle dele estão diretamente relacionados com a ingestão de alimentos. Em teoria, uma pessoa que come demais tende a acumular gordura corporal, enquanto aquela que come pouco estaria magra e mais saudável. Entretanto, é preciso ter cuidado com esses conceitos.

Na verdade, não podemos falar apenas em quantidade de alimento, mas sim em qualidade. Isso porque o corpo precisa de nutrientes, que devem estar na quantidade adequada para garantir o controle do peso corporal, o ganho de massa muscular e a saúde orgânica.

Além disso, devemos considerar que cada pessoa apresenta uma necessidade diferente. Portanto, o inibidor de apetite, ainda que seja uma substância natural, deve ser administrado com cautela porque também oferece risco de intoxicação, que desencadeia sintomas como:

  • náuseas;
  • refluxo;
  • dor de cabeça;
  • prisão de ventre.

Essa reação pode acontecer em função do consumo exagerado da substância, ou estar relacionada a alguma condição preexistente do organismo de cada pessoa, bem como uma possível alergia aos compostos.

Sendo assim, o ideal é receber uma orientação profissional antes de acrescentar o inibidor de apetite em sua dieta. A prescrição de alimentos e extratos com objetivo estético é exclusiva e limitada ao profissional nutricionista. Já no caso dos medicamentos, eles são trabalhados pela Medicina.

É importante ressaltar, que sem o acompanhamento especializado o indivíduo pode facilmente errar na dosagem, consumindo mais do que o necessário. Com isso fica exposto ao risco de complicações de saúde brandas, medianas ou severas.

Também é preciso ter cuidado em caso de condições específicas, como para indivíduos diabéticos, hipertensos, cardíacos e mulheres gestantes. Afinal, ainda que as substâncias sejam extraídas de plantas, elas desencadeiam reações químicas no organismo, portanto, oferecendo risco de intoxicação e efeitos colaterais indesejados.

Por tudo isso, se você deseja complementar sua dieta com um inibidor de apetite, prefira consultar um profissional nutricionista para analisar as suas necessidades. Desse modo, fará a administração da substância correta e na dosagem exata, para alcançar resultados eficazes e seguros.

Saiba mais sobre os inibidores de apetite e outros suplementos para potencializar seus resultados. Entre em contato conosco e converse com nossos especialistas!