Whey protein, dieta e acne: o que é mito e o que é verdade?

Infelizmente, o Whey Protein pode ser uma das causas da acne sim. Aliado a uma dieta hiperproteica e uma rotina pesada de exercícios, as chances de aparecerem explosões cutâneas aumentam, especialmente se você já tem essa predisposição.

Isso parece horrível para quem quer hipertrofiar e precisa de suplementos para atingir seus objetivos. Mas saiba que existem soluções para esse impasse e este artigo é exatamente sobre isso! Vamos explicar quais são as consequências para a sua pele ao tomar Whey e como a dieta interfere no aparecimento de acne, além de desvendar o que é mito e o que é verdade sobre esse assunto. Continue lendo para saber mais!

Acne é coisa de adolescente: mito

A acne aparece como o resultado da obstrução e inflamação dos folículos capilares e das glândulas sebáceas que os acompanham. Ela pode ser inflamatória ou não, no primeiro caso, envolve a colonização do folículo por uma bactéria — geralmente a Propionibacterium acnes. Com o aumento da atividade hormonal, comum na adolescência, a produção de sebo e a obstrução dos folículos capilares é maior, assim como as chances de aparecerem cravos e espinhas.

Porém, a acne pode continuar até a fase adulta e aparece, principalmente, em momentos de oscilação hormonal. Para as mulheres pode ser um pouco antes do início do ciclo menstrual, quando o corpo recebe uma grande quantidade de hormônios para iniciar a menstruação. Para quem treina, a carga de exercícios pesados estimula a produção de testosterona, uma das responsáveis pelo aparecimento de espinhas.  

Com isso, sabemos que o aparecimento da acne depende de alguns fatores biológicos inerentes de cada pessoa e de fatores ambientais como a alimentação.

Derivados do leite aumentam a acne: verdade

Estudos mostram que laticínios e alimentos com alto valor glicêmico tendem a causar acne. Já os alimentos popularmente conhecidos como causadores da acne — como sal e chocolate, por exemplo — não apresentaram resultados expressivos.

Em pesquisas realizadas com adolescentes, percebeu-se a acne com mais tendência de se desenvolver em pessoas que bebem 2 ou mais xícaras de leite por dia, sendo menos comum em quem ingere apenas 1 xícara de leite por semana. Foi verificado também que a acne está ligada não só à ingestão de leite, mas de laticínios em geral, principalmente os de pouca ou nenhuma gordura. Isso porque a vitamina A — aliada no combate às inflamações — é melhor absorvida na presença de gordura.   

E, como o Whey é a proteína do soro do leite e tem pouca gordura na sua composição, ele se encaixa perfeitamente nesse grupo de alimentos com tendência de aumentar as chances de causar acne.

Whey Protein causa acne: verdade

Se os derivados do leite aumentam a chance do aparecimento de espinhas, não poderia ser diferente com o Whey, já que é feito a partir do soro do leite. É claro, a proteína do leite não é a principal causa do aparecimento de acne e se você não tem predisposição a ter espinhas, o suplemento não vai mudar isso.

Porém, se notou um aumento na quantidade de acne depois de começar a ingerir essa proteína ou os tratamentos para espinha não estão surtindo efeitos, talvez esteja na hora de substituir o Whey por outro suplemento.

A proteína do soro do leite estimula a produção de insulina e, assim como a testosterona, esse hormônio pode criar um ambiente propício para o aparecimento de espinhas.  

Um suplemento de má qualidade pode conter impurezas como vitaminas do complexo B e estas, se consumidas em grande quantidade, podem influenciar na saúde da sua pele. Além disso, podem trazer também hormônios como a testosterona que, como já vimos, estimula o aparecimento de espinhas.

Cada organismo se comporta de uma maneira e é importante que o consumo do suplemento seja indicado por um especialista e seus efeitos sejam sempre acompanhados por um profissional de educação física e um nutricionista.

Se perceber que o Whey está causando problemas dermatológicos, substitua-o por outro suplemento de proteína como a albumina, derivada da clara do ovo.

São só os derivados do leite que causam acne? Não. Estaríamos mais felizes se isso fosse verdade, mas não, a lista de alimentos com esse efeito é longa.  

Gorduras e ácidos graxos causam acne: verdade

Estudos conduzidos com os habitantes de países em que a população rural tem uma dieta com pouco açúcar e pouca gordura, mostraram índices de acne mínimos em todas as faixas etárias.

Da mesma forma, populações indígenas que passaram a adotar hábitos alimentares ocidentais mostraram a relação entre o aumento do consumo de alimentos mais ocidentalizados — como comidas processadas, ricas em açúcar e gordura — com uma maior porcentagem de espinhas não só em adolescentes mas na população como um todo.

Gorduras e ácidos graxos têm sido apontados com um dos causadores de acne, principalmente ômega-6, um pró-inflamatório muito comum em óleos de girassol, de milho e de soja. Já o ômega-3, presente em peixes e algumas sementes, tem propriedades anti-inflamatórias e está associado a um risco menor de aparecimento de acne.

Logo, dietas com menos óleo e mais frutos do mar ou sementes, podem ajudar a combater o aparecimento de espinhas. Porém, você não deve cortar todos os alimentos causadores de acne, como os óleos, por exemplo. Eles são vitais para a absorção da vitamina A, e a falta dessa vitamina causa problemas cutâneos — como secura na pele — e nos cabelos, além de unhas quebradiças.

Gorduras e ácidos graxos não possuem apenas um lado ruim, eles tem papel fundamental na redução de colesterol ruim e doenças cardiovasculares, além de serem importante para o funcionamento perfeito dos neurônios.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde cerca de 30% da sua dieta deve ser constituída por lipídeos no geral, pois são alimentos calóricos muito úteis para atingir a quantidade de energia necessária, sem aumentar muito a glicemia, sendo ótimo para pessoas diabéticas, por exemplo.

Gorduras insaturadas — presentes em sementes e óleos vegetais — são mais saudáveis, enquanto as insaturadas devem ser consumidas com parcimônia e são encontradas em carnes, ovos, leite e outros alimentos de origem animal.  

Dieta pode curar as espinhas: mito

Isso é verdade apenas nos casos em que a acne é muito pontual. Quadros crônicos ou avançados dificilmente serão curados apenas controlando a alimentação. Porém, é certo que uma dieta equilibrada pode influenciar diminuindo a gravidade das inflamações. Para isso é preciso incluir na sua alimentação nutrientes como:

  • vitamina A: regula a atividade das glândulas sebáceas e evita o aparecimento das espinhas;

  • vitamina B6: regula os níveis hormonais e diminui a intensidade das explosões cutâneas;

  • zinco: aumenta a defesa do organismo e reduz inflamações.

Se mesmo utilizando suplementos de boa qualidade você tiver uma boa predisposição para ter espinhas, tome cuidado redobrado com a alimentação. Reduzir o consumo de carboidratos com alto índice glicêmico e reduzir a ingestão de gorduras saturadas, comidas com muito açúcar ou gordura ajuda a diminuir a gravidade da acne. Provavelmente não vai fazer com que ela acabe, mas ajudará no processo.  

Aumento de testosterona pode causar acne: verdade

Pessoas com a hipertrofia como objetivo estão mais propensas a ter acne ou uma manifestação mais severa dela. O exercício pesado que o processo de bodybuilding requer, induz o organismo a produzir mais testosterona e, como vimos a presença exagerada desse hormônio no organismo estimula o aparecimento de espinhas.

A testosterona causa a hipertrofia dos músculos e também das glândulas sebáceas, por isso aumenta as chances do aparecimento da acne. Sabendo disso, é importante manter o rosto sempre limpo, de preferência com produtos especializados para o controle da oleosidade.

Hidratar e proteger do sol também ajuda a driblar o aumento de oleosidade, desde que esses produtos não obstruam os folículos pilosos, pois, se esse for o caso, o efeito pode ser contrário, criando um ambiente propício para o desenvolvimento de acne.

Academia dá espinha: mito

Muita gente diz que a academia dá espinha e isso não faz o menor sentido. Essa ideia é popularmente aceita porque a faixa etária em que as pessoas tendem a ter mais espinhas é da adolescência até o início da vida adulta, e esta é coincidentemente a mesma faixa etária da maioria das pessoas frequentadoras desse ambiente.

Musculação em si não dá a espinha, mas o aumento da taxa hormonal sim. Como as duas coisas tendem a acontecer simultaneamente, acabam sendo associadas pelo senso comum, mas nenhuma prova científica mostra uma relação substancial entre as duas coisas.

Quem é bodybuilder tem uma taxa muito alta de testosterona por causa dos exercícios que exigem mais do corpo. Isso não acontece com quem faz musculação normalmente, portanto você tem espinhas e não é bodybuilder, a academia provavelmente não é a principal causadora das erupções na sua pele.

Lembre-se de consultar um dermatologista para avaliar o que está causando a acne, siga as recomendações médicas e tenha uma dieta saudável, assim, o seu problema com espinhas tem grandes chances de melhorar!

Gostou deste artigo? Quer saber mais sobre como a musculação pode interferir no aparecimento da acne? Leia este post e descubra mais sobre o assunto!