Dieta massa muscular

Dieta para ganhar massa muscular – Entenda como ela funciona com a G Suplementos

O ganho de massa tem como base inevitável a dieta. Ela é a principal fonte de diversos nutrientes e, em muitos casos, inclui os suplementos para garantir tudo o que o corpo precisa para enfrentar a rotina diária. Se você está focando em aumentar a massa muscular, vale a pena conferir os melhores ingredientes. Eles encabeçam a lista do que é necessário ingerir no seu dia, garantindo os estoques de combustível para enfrentar treinos cada vez mais intensos e ter melhores resultados.

E quais são os tipos de alimentos?

  • Carboidratos complexos
  • Proteínas de alto valor biológico
  • Ácidos graxos saudáveis

Como encontrar esses nutrientes?

No caso dos carboidratos complexos, inclua na programação a batata doce, batata salsa, batata yacon, mandioca, aveia e germe de trigo. Além disso, garanta sempre o consumo de macarrão, pão e arroz integrais, sementes em geral como chia, linhaça e gergelim, e todos os legumes e frutas.

Já para garantir as proteínas de alto valor biológico, invista em clara de ovo, carne de gado com corte magro, frango, peixe, leite e derivados desnatados e, é claro, os suplementos de proteína. Entre eles, os mais conhecidos são o Whey Protein – retirado do soro do leite – e produtos de origem vegetal como Soy Protein, Pea Protein e Rice Protein.

Por fim, os ácidos graxos saudáveis, chamados de gorduras de boa qualidade, estão presentes no azeite de oliva extra-virgem, frutas oleaginosas, óleos vegetais e no abacate.

Como distribuir esses ingredientes ao longo do dia?

Cada indivíduo necessita de um suporte dietético específico. Por isso, não seria certo generalizar a maneira de distribuir os alimentos ao longo do dia. Entretanto, via de regra, nosso organismo acaba demandando durante a rotina todos os tipos de nutrientes que podem ser consumidos via dieta. Uma estratégia será consumir maiores concentrações de carboidratos nas refeições que antecedem o treinamento físico; e, nas refeições que o sucederem, ingerir maior concentração de proteínas.

Quais as opções para o café da manhã?

Para estabelecer uma boa programação para o seu café, não há nada melhor do que consultar um bom nutricionista. Só com avaliações da sua rotina e características é possível ter uma ideia das necessidades do seu corpo ao acordar.

Uma indicação geral é que o café da manhã deve ser rico, por isso deve ter a maior variação de nutrientes possível. Após passar tantas horas em jejum, é preciso fornecer ao organismo uma grande variedade de nutrientes, por isso não tenha medo de incluir mais alimentos com as melhores características para uma refeição completa.

E quais as melhores sugestões para o jantar?

Assim como no caso do café, há muitas opções para incluir no seu jantar. Tudo isso varia conforme os objetivos e as atividades que você exerce no seu dia. Além disso, conta muito, também, definir um objetivo para a dieta, trabalhando suas expectativas de acordo com as possibilidades apresentadas por um profissional da nutrição.

O aconselhamento para o jantar é que ele deve ter alimentos ricos em micronutrientes. Ou seja, os pratos devem ser compostos por alimentos de digestão mais lenta. Um bom jantar é pobre em carboidratos e rico em proteínas e gorduras.

E cortar carboidratos? É uma boa estratégia?

Em geral, os especialistas apontam que cortar os carboidratos por si só não é uma boa tática. Isso só significa uma restrição de calorias, o que não impacta tanto na redução de gorduras. Para isso, é preciso ajustar a oferta dos nutrientes de acordo com a dieta, acertar a quantidade e a qualidade dos nutrientes.

Quais os riscos de montar uma dieta por conta própria?

Essa atitude não é aconselhada, especialmente com informações duvidosas encontradas em muitos lugares na internet. Um dos riscos é não conseguir chegar ao resultado desejado ou ainda desencadear alguma das doenças causadas por alimentação inadequada.