Disbiose: o que eu preciso saber a respeito deste assunto?

 

má alimentação, rica em alimentos industrializados, processados e açucarados, pode causar um desequilíbrio microbial no seu intestino, a disbiose. Isso pode ser um grande problema para a saúde, uma vez que afeta a absorção de vitaminas e prejudica a obtenção de energia pela fermentação dos carboidratos.

A disbiose, muitas vezes, é confundida com outras doenças, como intolerância à lactose. Quando não tratada adequadamente, pode causar um aumento das bactérias patogênicas na região do intestino, algo que resulta em ganho de peso e infecções em vários órgãos.

Para ajudar a identificar os principais sintomas da disbiose, preparamos este artigo com as informações mais importantes sobre o assunto. Continue a leitura e saiba mais!

O que é disbiose?

A disbiose é um desequilíbrio da quantidade de microrganismos presentes na flora intestinal. O nosso intestino é um reservatório de bactérias, leveduras e protozoários que auxiliam em diversos processos do organismo, como a digestão e absorção de nutrientes, por exemplo.

Quando acontece uma alteração que causa um aumento no número de bactérias maléficas e diminuição das benéficas, todo o processo da flora intestinal é comprometido. Assim, a obtenção de energia advinda dos alimentos é prejudicada, o que pode resultar no aumento de gordura corporal e até mesmo na obesidade.

A disbiose gera principalmente uma diminuição da flora saprófita, que são os Lactobacillus acidofillus e as Bifidobactérias. Além disso, ela é a principal causa da síndrome de impermeabilidade intestinal, na qual acontece uma inflamação na mucosa intestinal que pode levar a uma desnutrição crônica.

Quais são as causas da disbiose?

Má alimentação

Uma alimentação rica em proteína animal, açúcares, gordura e com baixo consumo de fibras facilita o desenvolvimento da disbiose. De acordo com um estudo, o desequilíbrio causado contribui para a presença de dois enterótipos: Bacteroides e Prevotella. Além disso, uma dieta hiperlipídica afeta a permeabilidade do intestino, por meio da ativação de mastócitos na mucosa intestinal.

Uso abusivo de álcool 

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas afeta a ação de enzimas importantes para digestão e agride o tecido que reveste o aparelho digestivo. Quando a parede do intestino é prejudicada, além de não ser possível ter uma boa absorção de vitaminas e minerais, as toxinas presentes nas fezes conseguem penetrar na corrente sanguínea.

Baixo consumo de fibras

Dietas ricas em gorduras e pobres em fibras geram inflamações que alteram a microbiota intestinal. O que resulta em um aumento das bactérias gramnegativas e uma redução das bactérias boas, chamadas de Biffidubacterias. Isso afeta a permeabilidade intestinal e facilita a entrada de toxinas.

Estresse ou ansiedade

O estresse influencia na capacidade e comportamento do sistema nervoso, o que contribui para a alteração da flora intestinal. Quando ocorre a disbiose, a comunicação do intestino com o cérebro sofre interferências, pois a biodisponibilidade de neurotransmissores fica limitada. Assim, o órgão demora a conseguir ativar as defesas antioxidantes do corpo.

Quais são os sintomas da disbiose?

Os principais sintomas da disbiose são:

  • fezes mal-formadas;

  • dores de cabeça;

  • náuseas;

  • gases e arrotos;

  • queda de cabelo;

  • distensão abdominal;

  • candidíase frequente;

  • diarreia alternada com períodos de prisão de ventre;

  • cansaço excessivo;

  • unhas fracas e quebradiças.

Em casos de suspeita de disbiose, procure um médico. Ele pode solicitar um exame de fezes ou urina específico para identificar se há alguma alteração na microbiota intestinal. O mais comum é o exame Indican.

Esse exame é realizado a partir da amostra de urina, avaliando a quantidade de Indican, um produto metabólico do triptofano. Em condições normais, esse aminoácido é convertido em indol e em seguida em Indican. No entanto, quando ocorre a disbiose, a produção é alterada, aumentando a sua concentração na urina.

Quais são os tratamentos da disbiose?

A disbiose tem cura e pode ser tratada facilmente com pequenas mudanças no seu dia a dia. O principal é fazer uma reeducação alimentar, aumentando o consumo de frutas e vegetais sem agrotóxicos. Além disso, evitar o consumo de produtos industrializados, fast foods e enlatados também é fundamental.

Inclua na sua alimentação prebióticos, como iogurtes naturais, queijos e leite fermentado, e aumente o consumo de fibras e probióticos, pois esses nutrientes colaboram com o bom funcionamento da flora intestinal e com a absorção de vitaminas e minerais.

Também é preciso avaliar se algum medicamento está causando esse desequilíbrio na flora intestinal e interromper o seu uso. Para isso, é importante procurar um médico para que ele solicite os exames necessários e analise cada remédio em específico para determinar a sua influência ou não na disbiose.

Em casos mais graves, o médico pode prescrever uma terapia para pacientes que sofrem com problemas emocionais que afetam o sistema digestivo ou medicamentos para controlar o desenvolvimento de bactérias patogênicas, como antibióticos e suplementos probióticos, que vão recolonizar a microbiota.

Qual a diferença entre disbiose e intolerância à lactose?

Os sintomas da disbiose, muitas vezes, são confundidos com os da intolerância à lactose. A grande diferença é que, no segundo caso, basta retirar da dieta alimentos com lactose que a pessoa fica bem novamente. Já no caso da disbiose, evitar essas comidas vai aliviar alguns sintomas, mas não vai resolver o problema, porque são vários os alimentos causam a síndrome do intestino irritado.

Outro fator é que, em casos de disbiose, há uma enorme quantidade de bactérias de tipos e ações diferentes no intestino. Além disso, se a pessoa tiver outros tipos de intolerâncias ou síndromes, como a do supercrescimento bacteriano no intestino delgado, há uma fermentação muito mais alta do que nos casos de intolerância à lactose.

Como vimos, a alimentação interfere diretamente no desenvolvimento da disbiose. O consumo de comidas industrializadas influência o desequilíbrio da flora intestinal, causando diversos problemas à saúde. Por isso, é fundamental seguir uma dieta balanceada, com todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo.

Você gostou de saber mais sobre a disbiose? Quer ficar informado sobre outros assuntos? Então aproveite e assine a nossa newsletter. Assim, você recebe todas as nossas atualizações diretamente em sua caixa de entrada.