Chia

Chia: saiba para que serve, como consumir e quais são os principais nutrientes

A chia pode fazer parte do seu cardápio diário de receitas fit e, se administrada de maneira correta, pode obter resultados significativos no seu organismo.

Confira a seguir os benefícios da semente rica em fibras, proteínas, entre outros nutrientes que são essenciais para manter o equilíbrio da sua saúde, mesmo em uma rotina agitada.

Não deixe de ver todos os tópicos deste conteúdo!

  1. Semente de chia
  2. Chia: para que serve
  3. Chia: benefícios
  4. Chia: tabela nutricional
  5. Chia emagrece?
  6. Como consumir a chia?
  7. Receitas com chia
  8. Farinha de chia
  9. Chia e linhaça

Semente de chia

A chia é uma semente da planta herbácea anual conhecida como Salvia hispanica L. da família das Lamiaceae. De acordo com artigo publicado pelo Brazilian Journal of Food Technology, a semente era cultivada e consumida originalmente como alimento pelos maias e astecas, no sul do México, e tinha como objetivo aumentar a resistência física por ser fonte natural de nutrientes importantes para a prevenção de diversas doenças.

Hoje em dia, a semente é consumida e utilizada como alimento funcional em diferentes países, como na culinária para a produção de bolos, pães, barras de cereais, maionese (com adição de mucilagem de chia), hidrolisados proteicos para panificação, entre outros.

Chia: para que serve

A chia apresenta ações antimicrobianas, antitrombóticas, anti-hipertensivas, antioxidantes, hipocolesterolêmicas e imunomodulatórias.

Segundo estudo publicado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FURG), o consumo de ácido graxo ômega-3, por exemplo, favorece a deformação dos eritrócitos, o que faz com que se diminua a viscosidade do sangue. Assim, facilita a microcirculação e possibilita maior oxigenação dos tecidos.

O consumo da chia e de alimentos ricos em ômega-3 auxilia também na redução dos níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue e da pressão arterial, evidenciando um risco menor de doenças cardiovasculares.

Outro fator importante da chia está em suas propriedades de hidratação. A semente apresenta uma percentagem considerável de mucilagem – secreção rica em polissacáridos –, que é responsável pela retenção da água nas sementes. Por isso, quando colocamos as sementes em contato com líquidos, como a chia com água, elas aumentam de volume e possuem mais viscosidade.

Chia: benefícios

São diversos os benefícios da chia no uso diário e em quantidades adequadas. Confira a seguir alguns exemplos de prevenção e tratamento de doenças.

  • Artrite.
  • Autoimunes.
  • Câncer.
  • Diabetes do tipo 2.
  • Mal de Alzheimer.
  • Inflamatórias.
  • Cardiovasculares.
  • Depressão.
  • Obesidade.
  • Níveis de colesterol no sangue.

Chia: tabela nutricional

Conheça os principais nutrientes da chia, de acordo com artigo publicado pela revista Percurso Acadêmico, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais:

  • Proteínas; antioxidantes – quercetina, canferol e miricitina; lipídeos – palmítico, esteárico, oleico, linoleico, linolênico, ômega-3 e ômega-6; fibras; vitaminas – vitamina A, vitamina C, vitaminas do complexo B (B1, B2 e B3); e minerais – fósforo, potássio, cálcio, magnésio, ferro, zinco, manganês e cobre.

Chia emagrece?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu a alimentação inadequada como um dos fatores de risco para o aumento de doenças não-transmissíveis (DCNT) no mundo. No Brasil, segundo artigo publicado pela Revista Brasileira de Nutrição Clínica, o grande problema de saúde pública tem sido causado pelo excesso de peso, devido ao consumo abusivo de alimentos industrializados.

Como a chia pode ajudar contra a obesidade?

A chia tem como característica ser um alimento funcional, ou seja, que ajuda nas funções nutritivas básicas produzindo efeitos metabólicos e benéficos à saúde. Segundo artigo publicado na revista Percurso Acadêmico, de Belo Horizonte, a chia apresenta resultados positivos sobre o controle glicêmico e demonstra potencial se administrada corretamente em uma dieta.

Então podemos usar a chia para emagrecer?

O estudo afirma que o consumo de chia durante 12 semanas promove uma redução significativa, porém discreta, em relação ao peso e à circunferência da cintura, além de manifestar uma melhora no perfil lipídico dependente dos valores iniciais. Isso porque a chia tem a capacidade de converter a glicose em um hidrato de carbono de liberação lenta, o que ajuda na sensação de saciedade.

Mesmo a chia sendo um alimento seguro e nutritivo, recomendamos que antes de consumi-la realize uma consulta ao profissional especialista na área da saúde para a dosagem correta na sua dieta, sempre de acordo com as necessidades do seu organismo.

Lembrando que, além da alimentação saudável com suplementos, é muito importante realizar exercícios físicos diários para fortalecer o corpo e obter resultados mais satisfatórios.

Como consumir a chia?

A chia pode ser inserida nas refeições de maneira muito versátil, como veremos no próximo tópico, mas com uma rotina agitada, muitas vezes, se torna difícil o consumo direto da semente nos alimentos. Uma das alternativas são as cápsulas de óleo de chia, que podem ser consumidas de qualquer lugar e possuem os mesmos nutrientes da semente.

Os suplementos de cápsulas também estão disponíveis com adição de outras substâncias, como o óleo de cartamo com coco, chia, cromo e vitamina E.

Receitas com chia

Mas, afinal, como comer chia?

Por ter um sabor neutro, a chia pode ser utilizada em diversas receitas no dia a dia e auxiliar nos níveis de glicose no sangue quando incorporada em alimentos. Você pode optar por consumi-la com frutas, suco detox (ou apenas chia com limão), vitaminas, sorvetes e até mesmo em massas de bolo fit, pães, panquecas, crepiocas, entre outros.

Farinha de chia

Segundo estudo publicado pelo Brazilian Journal of Food Technology, a farinha de chia tem um alto teor de antioxidantes, fibras, proteínas e aminoácidos, como o ácido aspártico e a glutamina, que auxiliam na melhora do sistema imunológico, e a arginina, que ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares (DCV).

O estudo mostra que pães integrais produzidos com soja (10%), chia e linhaça (5% cada) apresentam maior teor de proteína – de 25% a 30% – em comparação aos pães comerciais, com 21%. No experimento, a chia ganhou destaque por adicionar fibra dietética e reduzir a captação de glicose no trato digestivo, além de outros valores nutritivos benéficos presentes, como o alto conteúdo de cálcio, PUFA, ômega-3, ômega-6 e ômega-9.

Chia e linhaça

A linhaça é uma semente do linho, conhecida como Linum usitatissimum L., herbácea com origem na Ásia. Assim como a chia, ela atua como um alimento funcional e, muitas vezes, as duas sementes são confundidas por possuírem a mesma oferta nutricional, como ácido graxo, ômega-3, fibras, vitaminas do complexo B, ferro e zinco, entre outros.

Por serem sementes de fácil consumo com outros alimentos, a chia e a linhaça são ótimas opções para variar o cardápio. No experimento realizado pelo Instituto de Nutrição, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), foram indicados dez preparos com chia e linhaça, sendo cinco deles inéditos e cinco releituras de outras receitas.

Entre as preparações estão opções de pudim de chia com calda de damasco, muffin de abóbora com aveia e linhaça, bolo de frango com chia, farofa funcional com linhaça, gelado de abacaxi com aveia e chia, pudim de pão com linhaça, torta de limão com linhaça, brownie de cacau e chia, suflê de alho poró com chia, e estrogonofe de filé mignon com linhaça.

Agora que você já sabe tudo sobre a chia, aproveite para explorar as suas habilidades culinárias de maneira saudável e saborosa.

Referências
COELHO, Michele Silveira; SALAS-MELLADO, Myriam de Las Mercedes. Revisão: Composição química, propriedades funcionais e aplicações tecnológicas da semente de chia (Salvia hispanica L) em alimentos. Braz. J. Food Technol. [online]. 2014, vol.17, n.4, pp.259-268. ISSN 1981-6723. DOI http://dx.doi.org/10.1590/1981-6723.1814. Disponível em <https://www.scielo.br/pdf/bjft/v17n4/1981-6723-bjft-17-4-259.pdf>. Acesso em: 30 jul. 2020.

DA SILVA, Andreia Ana; ROSADO, Carolyne Pimentel; ZAGO, Lilia; LEONARDO, Natalia Soares. SABOR, SAÚDE E PRAZER COM CHIA E LINHAÇA: preparações simples e práticas para o cardápio. Inovação em Ciência e Tecnologia de Alimentos 3, v. 3, cap. 24, p. 241–264, DOI http://dx.doi.org/10.22533/at.ed.98019091024. Disponível em: https://www.finersistemas.com/atenaeditora/index.php/admin/api/artigoPDF/27394. Acesso em: 03 ago. 2020.

DA SILVA, Camila Saran et al. A chia (Salvia hispanica L.) como nova alternativa alimentar e no tratamento de doenças crônicas não transmissíveis. Revista Brasileira de Nutrição Clínica, [s. l.], v. 28, p. 234-238, 2013. Disponível em: http://www.braspen.com.br/home/wp-content/uploads/2016/12/14-A-chia-como-nova-alternativa-alimentar.pdf. Acesso em: 30 jul. 2020.

ROCHA, Yana Maria Amaral; DA SILVA, Leonardo Patrick Enéas; RÉGIS, Wiliam César Bento. Chia: Composição nutricional e benefícios para a saúde humana. Percurso Acadêmico, Belo Horizonte, v. 7, ed. 14, p. 483-493, jul/dez 2017. DOI https://doi.org/10.5752/P.2236-0603.2017v7n14p483-493. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/15194. Acesso em: 30 jul. 2020.