Óleo de peixe: entenda para que serve e quais são os benefícios

O que é óleo de peixe?

O peixe é um dos protagonistas quando se fala em alimentação saudável. Primeiramente porque alguns têm carne magra, sendo ideais para reduzir as calorias na dieta. Além disso, existem espécies mais gordurosas e que devem ser usadas para enriquecer a alimentação com gorduras de boa qualidade.

Existem muitos mitos em relação às gorduras. Na realidade, apenas as do tipo ruins, chamadas saturadas, são negativas para a saúde. Isso porque elas contribuem para o aumento do LDL (colesterol “ruim”) que se aloja nas paredes das artérias, causando doenças cardiovasculares e outros eventos, como o infarto e o AVC.

Já as gorduras boas são essenciais para o organismo, visto que aumentam o bom colesterol (HDL) e diminuem o LDL. Nesse caso, destacam-se as gorduras mono e poliinsaturadas e os ácidos graxos.

Nos peixes oleosos é possível encontrar os ácidos graxos em abundância, principalmente o ômega 3, uma gordura poliinsaturada que tem três variedades: ácido alfa-linolênico (ALA), ácido docosahexaenoico (DHA) e ácido eicosapentaenoico (EPA).

O DHA e o EPA são encontrados em animais marinhos, principalmente nos peixes gordurosos, enquanto o ALA é de origem vegetal e está presente em alimentos como a linhaça e a chia.

Além disso, os óleos de peixe são ricos em vitaminas. A concentração varia conforme a espécie utilizada para a retirada da gordura, mas pode-se encontrar concentrações relevantes de vitamina A, B, C e D.

De onde vem o óleo de peixe?

O óleo de peixe é retirado de peixes gordurosos, como o atum, anchova, arenque, cavala, sardinha, bagre, salmão, robalo, truta, tucunaré, linguado, bacalhau, pescadinha e traíra. Os peixes com alto teor de ômega 3 têm em comum o seu hábitat, as águas frias.

Isso acontece porque devido ao ambiente frio essas espécies tendem a acumular mais substâncias essenciais para a vida, como as gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas. Afinal, a água fria propicia uma queima maior de gordura e, assim, é preciso estocá-las em quantidade superior.

Para que serve o óleo de peixe?

Os ácidos graxos, como o ômega 3, não são produzidos pelo organismo humano. Dessa forma, é fundamental ter uma alimentação que forneça os níveis adequados dessa substância para a saúde. Isso é importante porque uma das funções principais dessas substâncias é formar a camada lipídica (de gordura) que fica em torno das células.

Essa camada permite que componentes essenciais às células sejam adquiridos pela troca com o meio externo, enquanto aqueles que são deletérios são excluídos. Sendo assim, é possível concluir que os ácidos graxos são fundamentais para a sobrevivência do organismo como um todo.

Quais os benefícios do óleo de peixe?

Age na prevenção de doenças

O ácido eicosapentaenoico (EPA) ajuda o sistema imune a produzir substâncias anti-inflamatórias. Essa função é muito útil na prevenção de doenças, principalmente aquelas ligadas a uma reação inflamatória exagerada do corpo, como acontece na asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, hipertensão e em algumas doenças autoimunes.

Atua na saúde dos olhos e do sistema cardiovascular

Os ácidos graxos têm como função recobrir a retina, um componente dos olhos responsável por transformar os estímulos luminosos em uma mensagem elétrica que será interpretada no cérebro. Sendo assim, eles são essenciais para a visão. Além disso, o ômega 3 atua na prevenção da degeneração da mácula, parte da retina que tem como função reconhecer detalhes.

No sistema cardiovascular os ácidos graxos agem de várias maneiras diferentes. O EPA age regulando as plaquetas, o que evita a formação de trombos que podem causar infarto e AVC. Já o DHA atua na prevenção de arritmias, visto que estabiliza a atividade elétrica do coração.

Regula a pressão arterial e os níveis de colesterol

Os ácidos graxos são famosos por aumentar o colesterol que faz bem para a saúde (HDL) e diminuir o colesterol ruim (LDL). Isso é importante para evitar que as paredes das artérias se endureçam ou que o caminho do sangue seja obstruído.

Assim, há uma reação positiva na pressão arterial, que se mantém estável e regulada. Afinal, é preciso que as artérias e veias mantenham a sua flexibilidade para expandir e retrair quando necessário.

Cuida da saúde do sistema nervoso

A bainha de mielina é um importante componente dos neurônios, sendo constituída pelos ácidos graxos ômega 3. Sua função é propiciar um estímulo mais rápido, o que melhora a comunicação do centro de comando (cérebro) para os órgãos e tecidos.

Além disso, os ácidos graxos têm poder vasodilatador nesse sistema, o que aumenta o aporte de nutrientes e oxigênio. Por fim, em pessoas que consomem ômega 3 observa-se uma diminuição de doenças como a depressão e alzheimer.

Como consumir o óleo de peixe?

A quantidade necessária por dia de ômega 3 é bastante polêmica. Os especialistas defendem, em média, que pelo menos 1 grama de ômega 3 deve ser consumida diariamente. Dessa forma, é recomendado ingerir 1 g de óleo de peixe 3 vezes ao dia, o que forneceria a quantidade ideal de ácidos graxos ômega 3.

Já segundo o Ministério da Saúde do Brasil (OMS) a recomendação é consumir de 1 grama a 3 gramas diariamente. Como a dieta e consequentemente a ingestão de ácidos graxos é particular a cada pessoa, é fundamental ter o acompanhamento de um profissional que oriente o melhor horário e a quantidade ideal. Uma recomendação comum é consumir uma cápsula antes do almoço e uma antes do jantar.

Atualmente o óleo de peixe rico em ácidos graxos ômega 3 pode ser encontrado em cápsulas de gel. Em geral, as cápsulas têm altas concentrações de EPA e DHA e não contém carboidratos, fibras ou sódio.

Onde encontrar o óleo de peixe?

A Growth Supplements oferece dois tipos de óleos de peixe diferentes, a fim de suprir a necessidade de cada dieta. A versão ultra tem, aproximadamente, 1000mg de EPA + DHA em 2 cápsulas (dose recomendada), enquanto a versão normal tem cerca de 600mg de EPA + DHA.

No geral, acrescentar o suplemento a dieta é mais simples do que comprar e preparar os alimentos ricos em ômega 3. Isso porque os peixes gordurosos apresentam um custo elevado e um prepara difícil, e, além disso, não são apreciados pelo paladar de todas as pessoas. Sendo assim, é mais econômico e prático incluir o óleo de peixe na alimentação através das cápsulas em gel.