Dieta flexível e receitas práticas com Gabriel Arones

Há alguns meses eu fiz um vídeo sobre dieta flexível para o canal da Growth e a galera curtiu bastante. Teve gente até pedindo as receitas dos pratos que montei pra dieta naquele dia. Então resolvi escrever um pouco sobre dieta flexível e mostrar os detalhes dos pratos.

Para entender o que é a dieta flexível, é preciso conhecer os macronutrientes, que são proteínas, carboidratos e gorduras. Este grupo de  nutrientes ocupa relativamente a maior parte da sua dieta. 

 

Na dieta flexível pode comer de tudo?

 

O que a dieta flexível faz é concentrar a atenção nos macronutrientes e criar configurações e limites de acordo com seu corpo e seus objetivos. Não significa que você vá comer tudo que não ultrapasse esses limites. A regra de ouro desta dieta é consumir de 80 a 90% de alimentos limpos, aqueles realmente saudáveis e o restante pode ser livre. Ela permite comer algumas coisas não tão saudáveis de vez em quando, mas em pequenas quantidades, é claro.

É preciso ser disciplinado quanto a dieta e ter o acompanhamento de um profissional especializado que tenha feito uma avaliação do seu perfil. Aí sim, você terá a configuração ideal para o seu corpo.

 

A dieta flexível na minha rotina

 

Eu pratico essa dieta há mais ou menos 4 anos e o resultado foi impactante. É lógico que as atividades físicas regulares têm papel principal nessa transformação, mas é como dizem, não se ganha shape só na academia. No vídeo eu até mostrei fotos do antes e depois.

Na época que fiz o vídeo, tinha voltado de uma viagem, tinha aumentado o peso e por isso estava em processo de cutting. Vou falar um pouco da rotina que eu fazia e das receitas dos pratos que indiquei no vídeo. Se liga.

A primeira coisa que faço quando acordo é ingerir uma pílula de Hot, que é o termogênico da Growth, e fazer o cardio em jejum, até aí tudo bem. Quando chego, tomo Whey Protein com um pouco de café. Na época eu recomendei o Whey sabor sorvete de creme e hoje continuo recomendando, é muito bom. A Growth tem até com sabor de doce de leite agora.

 

A primeira refeição sólida

 

Eu monto um prato com 200 g de batata inglesa cozida com casca, com 80 g de patinho, que é uma carne magra, também cozido. Com 75 g de peito de frango grelhado e 25 g de requeijão cremoso light. Pode ver que são alimentos já conhecidos por quem faz dieta comum.


Para vocês terem uma ideia, esse prato oferece 509 kcal, 61 g de proteína, 41 g de carboidrato e 11 g de gorduras. Tudo dentro dos meus limites, já que na época eram 2400 kcal, 210 g de proteína, 240 g de carboidrato e 67 de gordura, tudo baseado em uma dieta diária.  

 

Treino x dieta

 

Depois eu vou para o pré-treino, que geralmente é um mingau de aveia com alguma gordura, que sacia bastante e dá energia.

45 g de aveia com um pouco de água
3 skoops de Whey Protein
12 g de pasta de amendoim

Como pós-treino, minha maior refeição, eu faço um hambúrguer de patinho, que é uma carne magra, que é muito prática. Geralmente antes de dormir ainda como um iogurte com Whey Protein e biscoitos de arroz e depois estou livre para mandar alguma guloseima. É lógico, em pequenas quantidades e respeitando meus limites de macro.

 

Como começar?

 

Antes de entrar nessa dieta flexível, você precisa estar claro do seus objetivos e das necessidades do seu corpo, a ajuda de um profissional faz diferença.
E depois de estabelecido o cardápio, vem a parte da disciplina, que para algumas pessoas é a mais difícil. É preciso ter foco.

Bom, acho que é isso, espero que tenham curtido as dicas. Fiquem ligados nos próximos artigos do outros atletas do Team Growth, até mais!