Celulite: como se forma e como prevenir

Celulite não é exatamente o termo mais correto para esta característica, estas alterações na morfologia do tecido podem ser chamadas de condição, são caracterizadas pelo aspecto ondulado da pele de algumas áreas corporais. A celulite também pode ser chamada de adiposidade edematosa, lipodistrofia ginoide e dermatopaniculose deformante. A celulite tem maior prevalência no publico feminino e tende a ocorrer devido à influência do estrógeno (hormônio feminino) sobre a gordura.

Dificilmente celulite é observada em homens, mas pode-se notar presença desta condição naqueles que apresentam deficiência androgênica (déficit de produção de testosterona) e nos que receberam terapia com estrógeno para tratamento de alguma doença. Nesses casos, quanto menor a produção de testosterona pior será a estágio de celulite.

A celulite é encontrada nas áreas onde se concentra maior quantidade de gorduras, porém a obesidade não é determinante para sua incidência, a origem da celulite é desconhecida, mas é muito provável que aspectos como fatores estruturais, circulatórios, hormonais e inflamatórios estejam intimamente ligadas ao surgimento. Existem 3 hipóteses para explicar como a celulite se origina: alterações anatômicas e hormonais, microcirculação e processo inflamatório crônico.  Desde 1978 a celulite é classificada em Grau 0, 1, 2 e 3, sendo o nível zero a classificação adotada para os casos mais brandos, menos expressivos. O diagnostico da celulite pode ser feito por inúmeros meios: Macrofotografia, Medidas antropométricas, Bioimpedanciometria, Xenografia, Ecografia bidimensional, Termografia por anodo, Tomografia computadorizad, Ressonância nuclear magnética, Fluxometria de Doopler por Laser e por fim o método mais invasivo, a Biópsia de pele seguida de exame histopatológico. Já o tratamento da celulite pode ser classificado de duas formas: não invasivo ou invasivo.

Uma questão é certa! A dieta e os hábitos de vida do individuo são determinantes no aparecimento ou na redução de celulite. Alguns cuidados devem ser tomados para que o problema possa ser evitado ou reduzido, como exemplo podemos citar: nutrição adequada tomando cuidado com as escolhas alimentares que possam comprometer o bom funcionamento intestinal e também a pratica de esporte com regularidade. Muitos são os fatores que podem culminar para o desenvolvimento desta condição, alguns com maior influencia como genética, gênero, idade, fatores vasculares e hormonais. Já os com menor influencia estão o estresse, inatividade física, a alimentação inadequada, o sobrepeso, medicamentos, o tabagismo, o mau funcionamento intestinal, acompanhado de disbiose e/ou constipação, e deficiência do organismo no combate aos radicais livres.

Dicas alimentares para prevenir/remediar o aparecimento da celulite:
Quando falamos em dieta para redução de celulite estaremos falando de uma rotina alimentar que compreende vários nutrientes e elementos específicos, entre estes elementos podemos citar a quantidade de energia da dieta, ela deve ter restrição calórica, ou seja, somente quando consumimos menos quantidade de energia que gastamos é que as gorduras são mobilizadas e transformadas em fonte de energia, por este motivo o primeiro passo é ajustar a quantidade de alimentos ingeridos na dieta.

– Prebióticos e probióticos são elementos que aumentam a saúde intestinal, que por sua vez esta ligada a absorção de nutrientes, eliminação de toxinas, redução de apetite pode doces e maior síntese de serotonina (hormônio ligado ao bem estar).

– Alimentação rica em fibras pode prevenir um consumo alimentar excessivo aumentando a sensação de saciedade, situação esta observada após consumo. Além disso, ainda representam tratamento da constipação intestinal, fato este que auxilia reduzindo a exposição do individuo à toxinas geradas no processo digestivo. Alimentos ricos em fibras que devem ser consumidos diariamente:  frutas, hortaliças, batatas, farelo de aveia, cevada e grãos integrais.

– Carboidratos de baixo Índice Glicêmico garantem fornecimento gradativo de glicose e mantém níveis glicêmicos estáveis, evitando assim a formação de edema e inflamação. Como exemplo destes alimentos podemos citar: batata doce, mandioca, arroz integral, leguminosas e cereais em geral,

– Ingestão de água e líquidos de forma adequada é fundamental devido ao papel da água nas trocas celulares, circulação de nutrientes pelo organismo e eliminação de toxinas.  A água é indispensável aos rins, que por sua vez são responsáveis diretos pela eliminação de toxinas. Consuma pelo menos 35ml de água por kg de peso ao dia.

Chá verde é excelente porque fornece antioxidantes e ainda traz aumento na diurese reduzindo edema na pele.

– Restringir alimentos ricos em sódio e aumentar a ingestão de alimentos ricos em potássio pode prevenir o edema/retenção hídrica devido a influencia destes dois minerais na regulação da quantidade de água e líquidos corporais. Alimentos ricos em sódio: alimentos industrializados
Alimentos ricos em potássio: abacate, banana, goiaba, melão, chocolate em pó, ameixa seca, amendoim, uva passa, ervilha, grão de bico, lentilha, gérmen de trigo.

– Silício é um importante elemento dos tecidos, é responsável divisão celular e assim reestabelecer a elasticidade da pele. Pode ser encontrado em grande concentração na aveia.

– Consuma muitos alimentos fontes de nutrientes antioxidantes, estes nutrientes amenizam e combatem ação danosa de radicais livres sobre as células, na lista dos elementos que trazem proteção celular esta: beta caroteno, vitamina C, vitamina E, selênio e ácidos graxos essenciais e flavonoides.
– Procure aumentar as taxas do metabolismo consumindo alimentos termogênicos, na lista de alimentos capazes de trazer estes benefícios temos a pimenta vermelha, a cafeína, chá verde e de hibiscus, gengibre, Omega-3 (óleo de peixe) e canela.

Os exercícios físicos e a celulite
Exercícios físicos controlam o mecanismo de retorno sanguíneo o que evita o edema (inchaço), este mecanismo estimula a velocidade do fluxo sanguíneo e como consequência pode melhorar a lipólise quebrando moléculas de gordura potencializando assim os efeitos do habito alimentar na redução da celulite. Além disso, estimula atividade intestinal contribuindo também para a resposta positiva na terapia de combate a celulite. Todas as formas de exercício físico são benéficas para a saúde, quando não existe exercício físico ocorre aumento das áreas inflamadas devido à má circulação linfática, com o passar do tempo estes aspectos serão colaboradores intensos do processo que desencadeia celulite.

Geralmente a celulite apresenta-se em regiões localizadas, por isso deve ser praticada atividade que mobilize tecidos desta localidade. Exercícios localizados aumentam a irrigação sanguínea e também a circulação linfática.  A celulite pode ainda ser classificada em compacta ou flácida, dependendo do exercício físico realizado. Pesquisadores afirmam que em praticantes de exercício físico de força como a musculação a celulite se mostra na forma compacta (dura) onde a pele encontra-se tensa, os nódulos parecem duros e esta característica parece oferecer maior resistência à mobilização dos mesmos. A celulite compacta é observada em indivíduos com alto trofismo muscular, atletas e obesos. A influencia negativa do treino anaeróbico de alta intensidade justifica-se pelo possível acúmulo de ácido láctico e outras toxinas no tecido muscular e tecido cutâneo que acaba provocando edema, o que não ocorre com as praticantes de exercício físico aeróbio que possuem sua circulação periférica incentivada pelo exercício físico. Por este motivo o melhor exercício para redução de celulite é aquele feito com grande numero de repetições e cargas medianas.

O fato é que para que sejam expressivos os resultados na redução de celulite é preciso que haja integração entre os vários métodos terapêuticos e também a redução dos fatores que originam esta condição. Isso significa que o resultado depende diretamente da disposição do individuo em mudar hábitos de vida.

Material elaborado por Diogo Cìrico, nutricionista esportivo R.T. Growth Supplements.