corrida

Corrida: benefícios, importância e como prevenir lesões

Hoje é muito bem estabelecida a relação entre a corrida e a magnitude dos benefícios proporcionados. São tantos e tão amplos os benefícios que hoje falamos deles e dos aspectos psicobiológicos nos estudos e pesquisas, e com esse campo de pesquisa podemos entender melhor como direcionar e maximizar os benefícios da atividade física na promoção da qualidade de vida.

Confira todos os tópicos deste conteúdo e entenda os benefícios que a prática da corrida pode proporcionar à sua saúde!

  1. Corrida: benefícios do exercício aeróbico
  2. Corrida auxilia no emagrecimento?
  3. Quais são os diferentes tipos de corrida?
  4. A corrida pode trazer prejuízos à saúde?

Corrida: benefícios do exercício aeróbico

As pesquisas nessa área começaram a partir da década de 70, com análise basicamente do exercício aeróbico e sua influência sobre o humor e a ansiedade, porém, os benefícios da corrida vão muito além da regulação e melhoria do sono. Mello e colaboradores, em revisão publicada na Revista Brasileira de Medicina do Esporte, relataram melhoria no sono, nos transtornos de humor, na memória e no uso da atividade física no tratamento a pacientes com dependência alcoólica, entre outros tantos benefícios, como melhora do perfil lipídico, aparência estética e redução de gorduras.

Dentre todas as atividades físicas possíveis, a corrida de rua vem ganhando cada vez mais espaço devido à facilidade e ao baixo custo de sua prática. Não é incomum vermos pessoas correndo nas praças, nos parques, nas ruas – por onde andamos encontramos alguém correndo. Responda rápido: quando pensa em dieta e exercício para perder peso, qual atividade vem à sua lembrança?

Corrida auxilia no emagrecimento?

A grande maioria das pessoas associa corrida a redução de peso e emagrecimento, e não é sem motivo, já que existe um gasto calórico considerável durante a corrida. Sempre que você proporcionar uma ingestão calórica menor do que aquela necessária ao seu organismo, haverá redução de peso, com redução de gorduras.

Todas as atividades físicas podem aumentar o gasto calórico, porém, a corrida pode ser especial no que se refere à utilização de gordura durante o exercício – podemos perceber um consumo maior de gordura durante a realização da corrida quando comparada a um exercício de força como musculação, por exemplo.

Mas atenção a um detalhe: o fato de consumir mais gordura durante a atividade não significa que haverá maior redução de gordura corporal ou maior emagrecimento. A utilização de gordura durante o exercício está relacionada à manutenção da atividade física.

A forma como a gordura será usada tem relação com a intensidade, condicionamento físico e tempo de execução do exercício; já a redução de gorduras corporais tem relação com a dieta praticada, a quantidade de calorias ingeridas e também a qualidade dos alimentos ingeridos.

Entenda como a corrida colabora na redução de gordura corporal

Silva e colaboradores, em artigo de revisão publicado na Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, descreveram o metabolismo da gordura durante o exercício físico e seus mecanismos regulatórios.

Os autores evidenciaram que a forma como a gordura é usada durante o exercício de corrida depende principalmente da intensidade com que é praticada; a intensidade, por sua vez, é mensurada por uma ferramenta chamada VO2.

Quando nos exercitamos a 60-65% do VO2, temos consumo predominante da gordura durante o treino; quando aumentamos para mais de 80%, o consumo de gordura reduz drasticamente, sendo usada a glicose como fonte de energia majoritária.

Por esse motivo, podemos afirmar que correr emagrece e ainda podemos afirmar que ajuda na preservação de massa magra durante esse período. Mas atenção: se você está em busca de perda ou redução de gordura localizada na região abdominal, saiba que isto não é possível.

Nosso metabolismo utiliza as gorduras armazenadas de uma forma globalizada, ou seja, quando você está reduzindo gorduras, será reduzida um pouquinho de gordura da barriga, das coxas, das costas, dos braços…

Dizer que “correr perde barriga” é um erro cometido por muitas pessoas, por isso, evite consumir informação incorreta para não resultar em frustração.

Quais são os diferentes tipos de corrida?

Muitas pessoas começam a correr para perder peso, mas acabam “tomando gosto pela coisa” e levam o esporte a sério. Nesse caso, podemos falar sobre os diferentes tipos de corrida, as variações que ganharam espaço entre os amantes deste esporte:

Corrida de pista

– 100, 500 e até 3.000 metros;
– De meio fundo (ou média distância): pode variar entre 800 e 1.500 metros.
– De fundo (ou longa distância): varia entre 5.000 e 10.000 metros.

Corrida de revezamento

Corrida de rua

As distâncias podem ficar entre 5 e 42 km.

Corrida cross country

– Trail running.

Corrida de obstáculos.

Na modalidade “corrida de rua” teremos a ultramaratona, maratona e meia maratona. A diferença entre elas é: a ultramaratona é qualquer distância maior do que 42.195 metros; a maratona, 42k; e na meia maratona, o percurso possui 21k. Maratona e meia maratona são desafios que podem ser superados por qualquer pessoa saudável, basta treinar.

Nessas provas espalhadas pelo Brasil encontramos muita história de superação, de pessoas que começaram a correr para perder barriga, gostaram do esporte e hoje possuem, além de uma boa saúde e um corpo magro, uma boa condição cardiovascular, importantíssima para longevidade e qualidade de vida.

A corrida pode trazer prejuízos à saúde?

Mas será que correr tamanhas distâncias não pode fazer mal ao corpo?

A resposta é sim. Por mais que a atividade física seja parte fundamental para a promoção da qualidade de vida, quando feita de forma incorreta poderá facilmente resultar em prejuízos para a saúde.

Durante a corrida, mobilizamos músculos, sistema cardiovascular, sistema cardiorrespiratório, sistema endócrino, uma série de mecanismos fisiológicos são recrutados para sustentar a atividade física. Especialmente os músculos, são intensamente recrutados.

Um indivíduo que deseja progredir /evoluir nas distâncias percorridas precisa fazer fortalecimento muscular, precisa estar engajado numa rotina de treino de musculação voltada para o fortalecimento de músculos, como glúteo máximo, quadríceps, posterior da coxa e a panturrilha.

O fortalecimento previne lesões musculares, melhora o rendimento durante e também melhora a recuperação após o exercício. Músculos mais fortes recebem mais facilmente o impacto da corrida, aliviando o impacto nas articulações.

Para aqueles que pensam que a corrida por si já fortalece os músculos, explicamos que temos basicamente dois tipos de fibras musculares diferentes, as de contração rápida e contração lenta. Exercícios de resistência, como a corrida, recrutam fibras de contração lenta; já os exercícios de força, como musculação, recrutam predominantemente fibras de contração rápida – por esse motivo, os treinos se complementarão.

Mas atenção: é importante deixar claro que não estamos falando de hipertrofia – você não precisa ter as pernas de um bodybuilder, pois esse fortalecimento não causará aumento do volume muscular, não deixará lento ou peso para a corrida.

Referências
O exercício físico e os aspectos psicobiológicos. Marco Túlio de Mello1,2, Rita Aurélia Boscolo2, Andrea Maculano Esteves e Sergio Tufik. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbme/v11n3/a10v11n3

METABOLISMO DE GORDURA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO: MECANISMOS DE REGULAÇÃO. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Disponível em: http://www2.fct.unesp.br/docentes/edfis/ismael/nutricao/%C1cidos%20graxos%20e%20exerc%EDcio%20-%20RBCDH.pdf