Corticoide

Saiba o que é corticoide e para que serve este medicamento

O corticoide é um entre tantos tipos de medicamentos disponíveis graças à indústria farmacêutica. Ele possui diversas aplicações, sendo capaz de tratar diferentes tipos de doenças que incidem no corpo humano.

No entanto, apesar de consolidado, seu uso ainda é motivo de controvérsia para muitas pessoas, especialmente pelos seus possíveis efeitos colaterais.

Veja as principais dúvidas a respeito do corticoide:

  1. O que é corticoide?
  2. Corticoide: Para que serve?
  3. Medicamentos corticoides
  4. Corticoide para sinusite
  5. Corticoide: efeitos colaterais
  6. Corticoide engorda?
  7. Corticoides e diabetes
  8. Para que serve prednisona?
  9. Prednisona: efeitos colaterais

O QUE É CORTICOIDE?

Os corticoides são um grupo de hormônios que o corpo humano produz por meio das glândulas suprarrenais. No entanto, quando falamos sobre o medicamento, trata-se da versão sintética deste hormônio, criada em laboratório e transformada em remédio.

Corticoide é justamente o nome dado ao derivado sintético, enquanto o hormônio natural é denominado cortisol. É possível encontrar o hormônio com o nome de cortisona e corticosteroides.

Corticoide: para que serve?

Os corticoides possuem diversas funções enquanto medicamento, sendo utilizados amplamente em diferentes tratamentos e combate a doenças. Sua aplicação pode variar em dosagem e tempo de administração do remédio.

Ele conta, reconhecidamente, com ação anti-inflamatória, ação antirreumática e antialérgica, fazendo com que os corticoides sejam escolhidos para lidar com problemas crônicos como alergias, artrite, asma, lúpus, entre outro.

Também tem utilização recorrente na Oncologia, fazendo parte de vários protocolos de tratamento de câncer. Isso ocorre pois a mesma ação anti-inflamatória, já citada previamente, pode atacar algumas células cancerosas que são estimuladas a partir de processos inflamatórios. O corticoide também possui efeito imunossupressor, podendo auxiliar no combate de cânceres que se originam em células do sistema imunológico, como a leucemia.

Para entendermos melhor a ação do remédio no organismo, vamos pegar o caso da asma. Para lidar com essa doença, a forma de utilização é o corticoide inalatório, também chamado de corticoide nasal.

Com seu efeito anti-inflamatório, o corticoide atua na célula induzindo ou suprimindo os diferentes genes relacionados à produção de citocinas, que são moléculas que atuam no processo inflamatório asmático. Desta forma, ele pode ser utilizado para aliviar rapidamente crises, melhorando a inflamação e a atividade pulmonar em dias ou semanas, e modificando a hiper-responsividade do paciente em um tratamento de alguns meses.

A corticoterapia inalatória (abreviada como CI) é estabelecida no combate à asma, mas existem outras aplicações. É o caso do tratamento para sibilância recorrente em crianças nos primeiros anos de vida. A sibilância é um sintoma respiratório comum em crianças e pode representar diferentes problemas nas vias respiratórias. O diagnóstico e o acompanhamento médico são imprescindíveis.

Medicamentos corticoides

O corticoide pode ser encontrado em algumas diferentes formas de medicamento. Já mencionamos o corticoide nasal e há outras maneiras de administrá-lo, que variam de acordo com a necessidade do paciente e a recomendação de seu médico.

Corticoides orais: trata-se, basicamente, dos tradicionais comprimidos. São empregados para o tratamento de doenças endócrinas, reumáticas, alérgicas, hematológicas, entre outras. Exemplos deste tipo de medicamento são a prednisona (falaremos mais dela a seguir) e a deflazacorte.

Corticoides tópicos: são mais popularmente chamados de corticoides pomadas e também podem ser encontrados em cremes, géis e loções, como a hidrocortisona e a dexametasona. São utilizados para tratar alergias e doenças na pele, como, por exemplo, a psoriasis.

Corticoides injetáveis: empregados em diferentes tratamentos, que vão de doenças dermatológicas a tratamentos de tumores. O corticoide injetável mais difundido é a dexametasona, juntamente com a betametasona.

Corticoide para sinusite

A sinusite é uma doença caracterizada pela inflamação das mucosas dos seios da face, região formada pelas cavidades ósseas ao redor no nariz, maçãs do rosto e olhos.

Essa região do corpo possui diversas funções, como dar ressonância à voz, aquecer o ar inspirado e diminuir o peso do crânio. Os seios da face são revestidos por uma mucosa semelhante a do nariz. A sinusite ocorre por alterações anatômicas que impedem a drenagem da secreção da mucosa e por processos infecciosos ou alérgicos que inflamam a região e facilitam o surgimento de germes.

Muito se fala sobre o uso de corticoide para tratar os sintomas dessa doença. A discussão é bastante recorrente no meio acadêmico, e a busca por fontes na literatura científica médica é imprescindível para a compreensão do tema.

Um estudo divulgado na revista científica norte-americana Journal of The American Medical Association (JAMA) demonstrou a eficácia do uso de medicamentos corticoides como tratamento de sinusite crônica em adultos. Outro estudo de caso e revisão de ensaios clínicos, publicado na Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, conclui que os corticosteroides intranasais (CIs) apresentam benefícios na melhora do quadro de sinusite aguda, especialmente na dor facial e congestão nasal.

Como sempre, no entanto, o recomendado é uma análise específica de cada caso individualmente. Portanto, se você sofre com a sinusite e tem interesse no uso de corticoides para tratá-la, é fundamental que você busque a orientação de um médico especialista para verificar se é uma boa opção ou não. Além disso, ele também irá determinar a dosagem e o tempo de uso.

Corticoide: efeitos colaterais

Como outros medicamentos, os corticoides podem apresentar efeitos colaterais em pessoas que fazem uso. O risco maior está no uso prolongado, mas é importante citar que alguns efeitos colaterais podem surgir a curto prazo.

Entre os principais efeitos negativos estão cansaço físico, redução da imunidade, agitação, cefaleia e insônia. Além desses, é possível verificar aumento do açúcar no sangue, aumento da pressão arterial e redução da massa muscular, causada pela degradação de algumas proteínas do organismo.

Por apresentar riscos de efeitos colaterais, o tipo de corticoide, a dosagem e o tempo de tratamento devem sempre ser orientados por um médico, que será capaz de avaliar a necessidade pelo medicamento, seus benefícios e riscos.

Corticoide engorda?

Uma das grandes preocupações de quem realiza tratamentos com corticosteroides é ganhar quilos extras na balança. De fato, isso pode acontecer e o medicamento é conhecido como um vilão para o sobrepeso, visto que os corticoides a longo prazo causam retenção de líquidos no corpo. Isso ocorre porque ele altera o nível de eliminação de sódio pelo organismo.

No entanto, o ganho de peso e a retenção de líquidos não é via de regra para o medicamento. Diferentes fatores podem determinar se essa reação adversa irá acontecer ou não – inclusive, a dosagem e a quantidade de dias de consumo do medicamento.

Corticoides e diabetes

Um estudo realizado na Itália pela Universidade Sapienza de Roma indicou que o uso de prednisolona pode elevar o risco de diabetes tipo 2. Isso ocorre porque o medicamento afeta o metabolismo da glicose, aumentando o risco de diabetes em administrações prolongadas.

Para chegar a este resultado, que foi apresentado na Conferência Anual da Sociedade de Endocrinologia, o estudo analisou 16 voluntários homens que receberam doses de 10 mg ou 15 mg do medicamento durante sete dias.

Os cientistas identificaram que, apesar dos níveis de glicose no sangue e do colesterol não serem afetados pelos corticosteroides, eles dificultam o controle da glicemia pelo corpo.

PARA QUE SERVE PREDNISONA?

A prednisona é um medicamento corticoide bastante difundido entre médicos e pacientes. Se você está se perguntando “para que serve o remédio prednisona?”, saiba que a resposta pode ser bastante ampla, visto que suas aplicações são diversas.

Por se tratar de um corticosteroide, a prednisona conta com a já citada ação anti-inflamatória, além de  ação antirreumática e antialérgica, sendo empregado no tratamento dos mais diferentes problemas.

As indicações do medicamento são para o tratamento de doenças endócrinas, osteomusculares, reumáticas, dermatológicas, alérgicas, respiratórias, hematológicas, entre outras que respondam à terapia com corticosteroides.

Esse corticoide é contraindicado para pacientes com infecções sistêmicas por fungos, hipersensibilidade à prednisona e a outros corticosteroides. O uso em gestantes, mulheres em período de amamentação ou suspeita de gravidez deve ser analisado caso a caso por um médico especialista, visto que não há estudos adequados sobre a segurança da administração do medicamento nesses grupos.

Prednisona: efeitos colaterais

A prednisona possui as mesmas reações adversas apresentadas, de um modo geral, em outros medicamentos corticoides já citados neste texto, como fadiga, queda no sistema imune, cefaleia e insônia.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
AREND, Elisete E. et al . Corticóide inalatório: efeitos no crescimento e na supressão adrenal. J. bras. pneumol.,  São Paulo ,  v. 31, n. 4, p. 341-349,  Aug.  2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132005000400012&lng=en&nrm=iso>.  http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132005000400012.

ALVIM, Cristina Gonçalves et al . Corticoide oral e inalatório para tratamento de sibilância no primeiro ano de vida. J. Pediatr. (Rio J.),  Porto Alegre ,  v. 87, n. 4, p. 314-318,  Aug.  2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572011000400007&lng=en&nrm=iso>.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572011000400007.

SILVA, Joana; SOUSA, Luís. Sinusite aguda: qual o papel dos corticosteroides intranasais?. Rev Port Med Geral Fam,  Lisboa ,  v. 28, n. 5, p. 386-388,  set.  2012. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732012000500014&lng=pt&nrm=iso>