8 dicas de como fazer sua dieta

Dicas rápidas e práticas que podem te ajudar a como fazer dieta na correria do dia a dia.

Como fazer dieta?

Fazer dieta é algo “trabalhoso”, “é caro”, “é difícil”, “não há prazer no sabor dos alimentos”, “eu não consigo”… Essas e outras afirmações podem ser ouvidas de algumas pessoas que tentam fazer dieta por conta.

Escrevo “fazer dieta por conta” porque uma das funções do nutricionista é viabilizar o processo, o trabalho do paciente, fornecendo a ele as estratégias que facilitem e que tornem possível a execução da dieta.

Enquanto você não pode investir numa consulta e ter uma dieta 100% adequada em relação às suas necessidades e rotina de vida, vamos te ajudar com estas dicas:

8 dicas de como fazer dieta

Vegetais são importantes, todos os dias: sua dieta deve ter o máximo de vegetais possível!

Dica 0

Antes de qualquer situação, precisamos entender que nada que é desagradável tem muita chance de perdurar em nossas vidas. Um relacionamento, um emprego, uma moradia, uma roupa… A natureza do ser humano é muito simples: “O que não me agrada não me interessa”.

Deveria ser óbvio que uma dieta monótona, sem sabor e que não encaixa na sua rotina não tem muitas chances de dar certo. Independentemente disso, é muito comum vermos pessoas se sujeitando a métodos de dieta e modismos alimentares que lhes são desagradáveis – uma dieta “ruim” de fazer é uma dieta fadada ao fracasso, sem grandes chances de durar muito tempo.

Por esse motivo, sugiro que use este e outros materiais que encontrar por aí na elaboração da sua dieta, mas entenda que se não te faz bem, se não é interessante e prazeroso para você, pode ser que não seja o melhor caminho.

1- Salada de pote na sua dieta

(buscar por salada de pote no Google terá muitas imagens exemplificando o caso)
Essa estratégia pode ser usada para facilitar a vida de quem precisa preparar sua refeição do meio-dia, da noite, de qualquer hora que seja. É uma estratégia muito bem-vinda para organizar a parte dos vegetais da refeição. No pote, podemos organizar em camadas os vegetais, o que proporciona uma refeição variada e saborosa.

2- Programe suas compras para fazer uma boa dieta

Concentre suas compras num único dia da semana. Use esse mesmo dia para pré-preparar os alimentos – deixe-os congelados se for preciso.

Os vegetais da dieta são os mais delicados. Existem aqueles que deterioram mais facilmente e precisam de refrigeração, mas existem aqueles que podem ser adquiridos e deixados à temperatura ambiente sem problemas.

Compre a alface, limpe todas as folhas, armazene num recipiente e vá consumindo ao longo da semana.
No caso da dica número 1, você somente conseguirá executá-la se tiver os vegetais à disposição de forma prática.

Prepare o frango, a carne e o peixe, deixe-os prontos e congele se for preciso. É muito mais vantajoso e produtivo fazer esse esforço e deixar os alimentos prontos, mesmo que sejam congelados, do que se sujeitar a comer o que temos à disposição no dia a dia em lanchonetes ou padarias.

Ainda que haja muitos locais oferecendo alimentação saudável e direcionada a praticantes de atividade física nos dias de hoje, você já viu os preços desses lugares?

3- Dieta e hidratação

A maioria das pessoas não realiza hidratação de forma adequada. Isso é extremamente prejudicial, e pode vir a interferir até mesmo no desempenho de quem faz apenas treino de musculação.

A Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte recomenda ingerir entre 35 a 50 ml/kg/dia de líquidos – de preferência água! Mas se você está começando a policiar sua hidratação, pode tomar uma ou duas porções de chá, sucos ou água aromatizada, ou adotar outra estratégia que melhore sua aceitação de líquido, sem problemas – o importante é começar a ingerir a quantidade adequada. Depois de habituado, você vai eliminando o que não é água ou o que for menos interessante do que água.

4- Evite dietas da moda

Se não está realizando um tratamento específico e caso não esteja sendo orientado por nutricionista, sugiro que evite dietas da moda que eliminem um grupo de alimento das refeições, como as dietas No Carb ou No Fat.

Limitar o consumo de um grupo alimentar – ou seja, tomar uma postura excludente como estratégia – gera grande possibilidade de haver déficit na ingestão de algum dos micronutrientes ou até mesmo nutrientes essenciais, como os ácidos graxos.

5- Faça uma dieta variada

Puxando um link com a dica 4, coma de tudo! Faça uma força e não seja enjoado(a)!
O que mais dificulta o trabalho do nutricionista não é uma rotina agitada, sem hora para alimentar-se, sem regra com relação aos horários, o que mais dificulta o trabalho do nutricionista são aqueles pacientes que falam “não como abóbora”, “não bebo chá”, “não como nada amargo”, “não consigo comer salgado nesse horário”… Simplesmente porque isso acaba com as armas, com as ferramentas do nutricionista, que são os alimentos.

Variar o cardápio é indispensável e necessário, porque é impossível encontrar todos os nutrientes num único alimento, numa única refeição e até mesmo num único dia de dieta. Variar os alimentos e grupos alimentares significa que você tem mais chances de ingerir nutrientes diferentes. Ou seja, quando pensar em como fazer dieta, lembre-se: todos os nutrientes são fundamentais!

6- Seja criativo na sua dieta

Somos seres humanos, necessitamos de novidades, necessitamos de prazer para nos manter interessados em determinada situação.

Nesse caso a situação é sua dieta, e uma das formas de manter-se em adesão a um programa alimentar é explorar temperos, ervas, especiarias – os sabores que podem ser aplicados à sua dieta.

Use cebolinha, salsinha, alho, cebola, cominho, manjericão, orégano, páprica, noz-moscada, açafrão… Adote tudo o que for natural, tudo o que lhe agrada ao paladar, pois esses elementos podem salvar sua adesão ao plano alimentar, evitando que enjoe. Além disso, eles são capazes de trazer uma infinidade de benefícios tanto à saúde quanto ao desempenho e à evolução muscular.

A Growth tem um material produzido pelo nutri Diogo Círico (eu mesmo! rsrss), um e-book completo só com informações sobre temperos naturais, suas aplicações e informações nutricionais.
http://growthsupplements.com.br/ebook/
(aqui podemos puxar um link com a dica 2, compre os temperos, faça uma pasta usando liquidificador e armazene o tempero pronto sob refrigeração)

Receita para preparo de tempero:
1 cebola roxa grande;
1/4 de xícara de chá de azeite de oliva extravirgem;
14 dentes de alho;
1 maço pequeno de cheiro-verde;
sal a gosto.
Bata tudo no liquidificador e armazene sob refrigeração por até 30 dias sem nenhuma preocupação.

7- Não desista da sua dieta por pouco, jamais chute o balde

Entenda que não existe alimento único ou alimento insubstituível. Qualquer alimento na verdade deve ser considerado uma parte de um plano maior e mais complexo, portanto, se não tem batata-doce na sua casa, coma arroz ou mandioca; se não tem frango, faça carne de gado ou carne suína, mas não imagine que a substituição de um item na dieta fará você ter um prejuízo maior do que trocar a refeição completa.

Cito esse comportamento parecido com “chutar o balde” porque é muito comum vermos pessoas que usam como pretexto a ausência de um dos alimentos de boa qualidade da refeição para trocar a refeição completa.

Por exemplo: chegou a hora do lanche, você tem aveia e frutas, mas não tem uma fonte de proteína (como um iogurte). Por causa dessa ausência, você decide se juntar aos colegas de trabalho e trocar essa refeição por um bolo com café na empresa onde trabalha.

(Alguma situação parecida onde vocês trabalham, mais alguém aí se identifica?)

8 – Como fazer o dia do lixo corretamente em sua dieta

Em especial quando estamos falando de uma dieta restritiva com intenção de redução de gorduras, o “refeed” que foi transformado em “refeição do lixo” e até “dia do lixo” por alguns serve para regular o metabolismo, mantendo-o estimulado, e também serve para manter a adesão do indivíduo à dieta.

Material elaborado pelo nutricionista esportivo Diogo Círico – CRN 10 – 2067
R.T. Growth Supplements.