A dieta das cápsulas de cafeína

“A dieta que emagrece 25 kg com cápsulas de cafeína”.

A cada dia, são lançadas novas dietas, novos produtos e novas receitas milagrosas. Mas não se iluda pois, tudo gira em torno de dinheiro!

Não reinventaram a roda, nem se descobriu nenhuma fórmula mágica. Nesta “notícia” que mais parece fake news temos dois fatos:

a) uma dieta adequada para redução de peso fará com que o indivíduo reduza peso;

b) cafeína potencializa o efeito da dieta, pois é um termogênico.

Como funciona o consumo e o gasto energético?

De forma bem simples, mas quando se deseja atenção, cliques e consumidores, manipulam-se as palavras. Vamos entender o que, e como acontece.

Na teoria funciona de forma bem simples, a regulação do peso corporal depende do balanço entre consumo e o gasto energético desenvolvido pelo indivíduo.

A ingestão de energia, acontece através de alimentos e suplementos alimentares, carboidratos proteínas e gorduras são as famílias de nutrientes que nos fornecem energia, como a cafeína.

Já a necessidade energética do indivíduo, abrange a quantidade de calorias que gastamos para manter nossas funções vitais (metabolismo basal), energia que gastamos com atividade física. O efeito térmico dos alimentos que se trata da energia gasta com a digestão, absorção e metabolismo dos alimentos. Ou seja, quanto ingerimos e quanto gastamos.

Cafeína e esporte

Quando ingerimos mais energia do que gastamos, criamos um ambiente capaz de criar, sintetizar e aumentar. Iremos aumentar o peso corporal sempre que consumimos mais energia do que gastamos.

Fatores como a quantidade calórica, qualidade dos alimentos, prática de atividade física, perfil hormonal, entre outros, determinarão se o indivíduo irá aumentar o peso em massa muscular ou massa gordurosa.

Quando falamos de uma dieta com menos calorias do que o necessário, criamos um ambiente capaz de quebrar, catabolizar e reduzir peso. Quase como no parágrafo acima, fatores como a quantidade de calorias, qualidade dos alimentos e suplementos, prática de atividade física, perfil hormonal e também a presença de termogênicos, determinarão que tipo de peso será reduzido, se massa muscular ou massa gordurosa.

A cafeína como estimulante

A cafeína trata-se de um termogênico capaz de influenciar na prática de exercícios, pois reduz a fadiga corporal e estimula o estado de alerta. Esta droga tem efeito especial na regulação do metabolismo das gorduras, ela pode aumentar a lipólise através de dois mecanismos: efeito competitivo dos receptores de adenosina e também ao fato de potencializar a liberação de cálcio da célula muscular. Contudo, as implicações desta droga não param por aí, ela é capaz de:

  • aumentar a capacidade de realizar determinadas tarefas;
  • aumentar a força de contração muscular;
  • provocar diurese;
  • causar efeitos inotrópicos, taquicardizantes, broncodilatadores e estimulantes;
  • em doses maiores, produz excitação, ansiedade e insônia;
  • efeito de economia do glicogênio muscular.

Estes efeitos a nível celular, nos permitem entender que a cafeína pode influenciar no aumento do desempenho físico, aumentar a capacidade de treinar e conseqüentemente aumentar o gasto calórico.

Coadjuvante na melhoria da composição física

Se considerarmos os fatores: aumento da lipólise e estes efeitos relacionados a ergogênese no trabalho físico, conseguimos compreender que a cafeína seja ela proveniente de alimentos/bebidas naturais ou de suplementos, será um excelente coadjuvante na melhoria da composição física, em especial se o indivíduo consumir uma dieta controlada em qualidade, quantidade de alimentos e também se praticar exercícios físicos.

Lembrando que a cafeína pode ser encontrada em alimentos como cacau e bebidas como café e chás. A diferença é que nos alimentos e bebidas poderão ser encontrados mais elementos nutrientes, como vitaminas, minerais e compostos bioativos. Além disso, numa bebida como café a concentração de cafeína será bem reduzida, em relação a uma cápsula de suplemento.

Mas, atenção! As considerações não param por aí! Por via de regra, a cafeína é bem tolerada e metabolizada, mas suas características individuais, podem fazer com que a cafeína traga efeitos colaterais até mesmo em pessoas saudáveis.

Variáveis metabólicas, dieta consumida e freqüência do consumo da cafeína, são alguns dos fatores que podem dizer como um indivíduo reagirá a cafeína.

Algumas pessoas podem experimentar os efeitos adversos do seu consumo, diminuição no desempenho atlético, cefaléia, tremores, náuseas, taquicardia, entre outros sintomas, mesmo sendo saudável.Por outro lado, existem algumas pessoas portadoras de patologias e doenças, que recebem contra-indicação para cafeína, algumas delas como cardiopatias, hipertensão, insônia, transtornos emocionais, como ansiedade crônica, entre outros.

<i>DICA: Para você que deseja experimentar cafeína a sugestão seria começar com doses de 3 a 4mg de cafeína para cada kg do peso, uma vez ao dia.

Exemplo: Uma pessoa de 70kg deveria começar consumindo entre 210 e 280mg de cafeína.
Caso o indivíduo sinta necessidade de aumentar a dosagem, poderia consumir mais de uma cápsula/porção.
O mais importante, sempre será consultar um profissional nutricionista para conhecer suas necessidades nutricionais e saber quais produtos podem te ajudar na oferta de nutrientes ao organismo. Evite a “auto suplementação”, evite investimentos financeiros desnecessários e até perigosos.</i>

Exemplos de fontes de cafeína:

HOT termogenico

Cafeína isolada

Cafeína + associações

Como resumo, podemos dizer que não existe dieta da cafeína, nem tão pouco o suplemento fará o trabalho por você, mas se houver dieta controlada e exercícios adequados, a ajuda que a cafeína pode trazer, será muito importante.

Material de apoio
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922000000200006

Material elaborado por Nutricionista Esportivo Diogo Círico – CRN 10 – 2067

R.T. Growth Supplements