Desidratação para atletas de bodybuilding: saiba como funciona

É provável que grande parte das pessoas que se preocupam com uma alimentação balanceada e com a prática de exercícios físicos já tenham ouvido falar que é necessário beber, no mínimo, mais de 2 litros por água.

Isso porque a água é necessária para as mais diversas reações do organismo humano dentro das células, assim como atua em processos extracelulares, como a digestão e a regulação de temperatura por meio da sudorese.

Em um adulto, a água representa cerca de 60% do total corporal, enquanto na criança essa porcentagem sobe para 80%. Dessa forma, é natural concluir que a falta de água pode ser um risco para a saúde. É por esse motivo que a desidratação feita por atletas bodybuilding gera tantas dúvidas.

Neste artigo esclarecemos o que é a desidratação, como funciona o processo, qual é o momento correto para essa prática e quais são as suas vantagens e desvantagens, entre outras informações importantes. Confira!

O que é a desidratação?

Como falado, a água desempenha diversas funções essenciais no organismo, sendo o principal componente das células e um poderoso solvente para as reações químicas, assim como é fundamental para o transporte de substâncias, visto que constitui o plasma (parte líquida) do sangue.

Dentre outras funções importantes estão a eliminação de toxinas e outros produtos deletérios para o organismo através da urina e das fezes, composição do suor e das lágrimas, a lubrificação de tecidos delicados, como as meninges do sistema nervoso central e as articulações, e outras inúmeras funções importantes.

Diante desse quadro, é fundamental que o corpo se mantenha hidratado, a fim de garantir a vigência de todas as funções e reações. A desidratação é um quadro caracterizado pela baixa concentração de água no organismo, que é acompanhada da diminuição de eletrólitos importantes para as reações, como o sódio e o cálcio.

Normalmente a falta de água no corpo acontece devido a episódios de diarreia ou vômitos, transpiração excessiva, pelo descontrole no uso de medicações diuréticas (que estimulam a micção) ou por doenças que causam o aumento da formação de urina, como a diabetes. Associado a isso, pode haver baixa ingestão da substância, assim como essa pode ser a causa principal.

Quando atletas de bodybuilding fazem a desidratação?

Muitos atletas, na busca da perfeição física, acreditam que somente treinar seriamente, manter uma alimentação correta e usar todas as técnicas possíveis não é o suficiente para ganhar uma competição. Dessa forma, para atingir a máxima definição, volume e simetria muscular são usadas estratégias antes das competições, como a desidratação.

Mas afinal, porque a desidratação teoricamente ajuda os competidores? Basicamente, o objetivo é reduzir a espessura da pele ao perder água nos tecidos subcutâneos, a fim de tornar os músculos e vasos mais visíveis e contornados. Como falado, a técnica de desidratação pode ser perigosa e, por esse motivo, os atletas de bodybuilding a utilizam (ou deveriam utilizar) somente para competir e aumentar o seu potencial de vencer.

Quais as estratégias utilizadas?

Drogas diuréticas

Os medicamentos diuréticos são usados no tratamento de pessoas que têm tendência a acumular água e sódio. Geralmente são usados para tratar quadros de hipertensão arterial (devido ao aumento do volume sanguíneo), de edema (inchaço de membros inferiores, por exemplo) e glaucoma (aumento da pressão do líquido ocular).

O seu mecanismo de ação é aumentar a diurese, ou seja, a pessoa elimina água e eletrólitos pela urina, evitando que ocorra acúmulo. No entanto, nessas pessoas é eliminado apenas o excesso de água, a fim de manter as funções normais. Em uma pessoa saudável as drogas diuréticas causam desidratação.

Dieta com restrição de sal

O sódio tem como característica a atração de moléculas de hidrogênio. É por esse motivo que pessoas hipertensas (com pressão alta) não devem ter uma dieta rica em sal. Afinal, muito sódio na corrente sanguínea atraíra água, aumentando a pressão arterial.

Manter uma dieta sem sal fará com que a água seja eliminada. No entanto, como o sódio é necessário para as reações do organismo não pode-se cortá-lo por um período prolongado.

Consumo excessivo de água

Alguns dos atletas bodybuilding que realizam a desidratação podem partir do princípio que quanto mais água é ingerida, mais é eliminada. Afinal, se o organismo percebe que o teor está baixo, pode acionar mecanismos para retê-la, a fim de manter os níveis normais.

Dessa forma, certos atletas optam por fornecer ao corpo grande quantidade de água, iniciando a prática uma semana antes das competições, da seguinte maneira:

  • dia 1: 6 litros de água;

  • dia 2: 7 litros de água;

  • dia 3: 8 litros de água;

  • dia 4: 8 litros de água;

  • dia 5: 8 litros de água;

  • dia 6: 6 litros de água;

  • dia 7: 5 litros de água;

  • dia da competição: eliminar o consumo de água totalmente 12 horas antes de subir ao palco.

Defensores dessa prática afirmam que se a água for reduzida drasticamente apenas antes da competição haverá eliminação de líquidos no subcutâneo, favorecendo o visual dos músculos.

Quais as vantagens e desvantagens que isso traz?

Cerca de 75% do peso de um músculo é composto por moléculas de água. Além disso, para que o glicogênio (energia) seja incorporado ao tecido muscular é necessário que o corpo tenha água disponível. Sendo assim, é possível concluir que a escassez pode tornar os músculos menores e mais fracos, o que é muito prejudicial em uma competição.

Além disso, em situações de pouco volume sanguíneo o corpo prioriza áreas nobres, em detrimento dos músculos. Dessa forma, o tecido muscular não terá o aspecto túrgido e vascularizado que agradam os juízes visualmente.

Outro ponto fundamental é sobre a concentração de substâncias. Com a redução da água há retenção de compostos, inclusive os tóxicos, no organismo. Isso acontece porque há pouca formação de urina. Assim, o competidor poderá ficar o metabolismo lento e com fadiga nos músculos, prejudicando a contração muscular e a coordenação motora em cima do palco.

Dessa forma, podemos concluir que cortar a água por um longo período pode ser prejudicial não só para a saúde, mas também para o físico adequado para a competição.

No entanto, algumas estratégias mais brandas podem ser usadas a fim de diminuir a água do subcutâneo. Nesse caso é necessário ter o acompanhamento de um profissional especialista em competições, que indicará as melhores práticas para ter um shape incrível no dia.

Curtiu saber como os atletas bodybuilding realizam a desidratação e quais são os prós e contras dessa prática? Se você quer ler mais artigos sobre suplementação e treinos não deixe de assinar a nossa newsletter!