Aspectos funcionais das catequinas do chá verde – Revisão completa.

Diogo Círico 25/11/2015

Considerado um alimento funcional devido aos seus benefícios adicionais sobre a saúde o chá verde é extraído de uma planta chamada Camellia sinensis, de acordo com o método de produção empregado em seu processo de extração esta planta pode gerar 3 variáveis de bebida:

– Chá verde: quando não sofre fermentação durante o processamento e deste modo retém a cor original de suas folhas, amplamente consumido na Asia.

– Chá oolong o qual é parcialmente fermentado, resultando em um chá intermediário entre o chá verde e o preto, sua produção e consumo são acentuados na China.

– Chá preto, seu processo de fermentação é mais acentuado de todos os 3, desta forma assim para uma coloração escurecida, além de lhe conferir sabor característico. Este formato de de chá é mais popular na América do Norte e Europa.

cha-verde

Uma característica relacionada a composição das folhas que poucos conhecem é que: Clima, estação, processo utilizado na cultura da planta, tipo e idade da planta influenciam na composição bioquímica encontrada na folha. Pela possibilidade de variação na composição de um produto para outro a ANVISA não permite que sejam expressos em rótulos de produtos feitos com Camellia sinensis a quantidade de compostos como cafeína, catequinas, entre outros elementos.

Em relação a sua composição: chá verde contém componentes polifenólicos, que incluem flavanóis, flavandióis, flavonóides e ácidos fenólicos. As plantas sintetizam estes compostos em resposta a agressões ecológicas (ataque de patógenos, insetos, radiação UV e a feridas). Já nos seres humanos  compostos fenólicos são um grupo de antioxidantes que combatem o envelhecimento celular.
Uma típica bebida de chá verde preparada com 1gr de folha para 100ml de água fornece 35-45 mg/100mL de catequinas(polifenóis) e 6 mg/100mL de cafeína.

Dentre os vários benefícios sobre o chá verde já documentados, evidências sugerem que o extrato do chá verde reduza o apetite e aumente o catabolismo de gorduras. A quantidade mínima de chá verde necessária para observar este efeito 750ml/dia (240 a 320mg de polifenóis).

Esta composição da bebida promove inibição da peroxidação lipídica(quando os ácidos graxos são atacados por radicais livres) e promove melhora no perfil de LDL(colesterol ruim). Os benefícios se estendem ainda mais quando falamos de indivíduos fisicamente ativos, a ingestão desta bebida rica em catequinas associada a pratica regular de atividade física estimula o metabolismo lipídico no fígado e no músculo esquelético, locais onde estão aumentadas as oxidações dos ácidos graxos livres, sendo assim o consumo de chá verde uma maneira de potencializar a redução de gordura corporal em indivíduos sobrepeso e obesos, nestes casos o extrato de chá verde também promove ativação simpática da termogênese e oxidação de gordura.

Quando falamos em termogênese todos entendemos que se trata de um aumento do gasto energético natural que ocorre durante um período de 24hr. É importante sabermos que este efeito acontece através de várias reações em cadeia. No caso do chá verde através das catequinas, elas atuam inibindo a catecol-O-metiltransferase (COMT), enzima responsável pela degradação da norepinefrina, a redução deste neuroreceptor reduz a interação com adrenorecpteores, devido ao importante papel do sistema nervoso simpático e seu neurotransmissor norepinefrina no controle da termogênese e na oxidação de gorduras, é compreensível que as catequinas, pela inibição da COMT, resultem em um aumento do efeito da norepinefrina, potencializando a oxidação de gorduras pela ativação da termogênese.

Pesquisadores publicaram um importante estudo na “Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento” informando que o consumo de chá verde por um período longo de tempo possui capacidade de alterar a distribuição da gordura corporal total. A lipólise é modulada pela ação contra reguladora de hormonios. A atividade lipolítica induzida por catecolamina (hormonio) é maior na gordura visceral, comparada com a gordura periférica subcutânea. Desta maneira, o efeito estimulador do sistema nervoso simpático associa-se a variações no conteúdo e na distribuição da gordura corporal. Neste caso, a ação das catequinas presentes no chá estimulam o tônus simpático que contribuem para mudanças favoráveis na distribuição da gordura abdominal.

 

Texto redigido por Diogo Cìrico, nutricionista Esportivo R.T Growth Supplements

Isto foi útil?

Obrigado pelo seu feedback!
Visitado 43 vezes, 2 visita(s) hoje.
Diogo Círico

Diogo Círico

Nutricionista

Graduado em nutrição em 2007 pela Faculdade Assis Gurgacz, pós-graduação em Nutrição e Atividade Física - 2012, pós-graduação em Nutrição Funcional Esportiva - 2017, desde o inicio buscou destinar suas atividades à nutrição esportiva e também a área de tecnologia de alimentos. À frente das ações técnicas da industria Growth Supplements desde sua criação, já somam-se mais de 10 anos de dedicação, trabalho e pesquisas laboratoriais no desenvolvimento de novos produtos. Hoje suas ações como nutricionista dividem-se entre assessoraria de alguns atletas patrocinados pela Growth Supplements, redação de material técnico cientifico como estes disponíveis no blog GSuplementos e também na liderança da equipe de técnica Growth Supplements . Diogo Cirico; Nutricionista esportivo CRN 10 - 2067