Afinal, é possível ser um fisiculturista natural?

Embora nem todo mundo conheça esta modalidade, o fisiculturista natural é um atleta de fisiculturismo que não utiliza determinadas drogas como hormônios de crescimento e insulina.

No entanto, será que é realmente viável ser um bodybuilder sem usar essas substâncias? Como fazer isso? É possível aumentar a massa muscular apenas com exercícios físicos e uma dieta regrada?

Pensando nessas questões, desenvolvemos este texto. Continue lendo até o fim para saber mais a respeito desse tema!

Entendendo o que é o fisiculturismo natural

O fisiculturismo natural nada mais é do que o fisiculturismo que não se envolve com o uso de determinadas drogas. Dentre as citadas no começo deste post, os esteroides anabolizantes certamente são as mais populares entre os bodybuilders, seja para o uso recreacional, seja para o competitivo.

A ideia dos fisiculturistas naturais é hipertrofiar, ganhar massa magra, comer de maneira adequada, tomar suplementos e assim alcançar o corpo natural. Isto é, eles desejam chegar aos resultados pretendidos sem precisar fazer qualquer manipulação hormonal.

A modalidade começou a ganhar adeptos na metade da década de 1990, aproximadamente. Os atletas buscavam um esporte que não precisasse de recursos artificiais para melhorar o desempenho.

Além do mais, havia a ideia de conseguir a aceitação do público em geral e, a partir disso, popularizar ainda mais o fisiculturismo e a atividade competitiva da categoria. Esse convencimento só foi obtido por meio do distanciamento dessas substâncias.

Em suma, um fisiculturista natural é aquele que não pratica o doping — uso de drogas proibidas para determinada modalidade esportiva. No entanto, é preciso ressaltar que cada categoria competitiva tem sua própria lista de substâncias, que mostra o que é e o que não é válido.

Portanto, se você deseja competir “naturalmente”, nunca deixe de olhar a permissividade das competições escolhidas, ok? No próximo tópico, falaremos um pouco mais sobre as vantagens e desvantagens desse jeito de ser bodybuilder!

Prós e contras do fisiculturismo natural

Contras

Como haveria de ser, atletas que não fazem o uso de esteroides anabólicos ficam em desvantagem competitiva em relação àqueles que o fazem. Isso acontece principalmente nas categorias que privilegiam muito o crescimento dos músculos, como o Mr. Olympia, por exemplo.

Além disso, por mais que sejam feitos exames de antidoping, uma boa parcela deles é facilmente burlável. A prova disso é o imenso número de atletas — inclusive em outros esportes — que confessam o uso de substâncias não permitidas pela modalidade.

Há, ainda, a relação com os alimentos e a rotina de treinos. Fisiculturistas naturais precisam ser ainda mais rígidos com esses aspectos se quiserem atingir seus objetivos.

Prós

A principal vantagem de ser um fisiculturista natural é ter a certeza de que você percorreu o caminho mais difícil e ainda assim chegou aonde queria. Você também pode procurar por competições que favoreçam os adeptos da modalidade para encarar pessoas que se desenvolveram com as mesmas condições que você.

Por mais que alcançar os benefícios do fisiculturismo “limpo” seja um caminho mais árduo, eles também são mais duradouros. Afinal, você educou seu corpo a receber determinados estímulos e a lidar de maneira mais estável com eles. É como diz aquele velho ditado: “o que vem rápido, vai rápido”.

O que é fundamental para se tornar um fisiculturista natural

Antes de tudo, é preciso entender que, como naturalista, somente o longo prazo trará os resultados que você tanto espera. Acredite: valerá a pena!

A aprovação do fisiculturismo como esporte olímpico, bem como a sua presença nos Jogos Pan-Americanos de 2019, no Peru, é um indício de que os testes antidoping e os mecanismos para julgar os atletas em pé de igualdade serão cada vez mais aprimorados.

Portanto, confie no seu trabalho, tenha o máximo de disciplina nos treinos, evite erros e mantenha o foco na dieta e nas suplementações. Se possível, forme uma equipe e conte com o acompanhamento de médicos, nutricionistas e treinadores — você conseguirá o que quer!

Competições: categorias comuns dessa modalidade

Felizmente, existem algumas categorias criadas especialmente aos adeptos e adeptas do naturalismo. As mais comuns são:

Esses três exemplos são competições que acontecem no exterior. Cada uma delas tem suas próprias subcategorias, que são divididas por gênero, peso, idade etc.

3 atletas de referência para você se inspirar

1. Claudia Vilaça

Claudia se tornou conhecida no meio por conta de uma matéria publicada pela revista Época. Ela começou a malhar em 2008, apenas para acompanhar o filho sedentário na academia. Apaixonou-se pelo esporte, adotou a evolução lenta e gradativa e já competiu no Brasil e em outros países.

2. Liverson Rizzardi

O brasileiro Liverson Rizzardi começou a treinar com 16 anos e nunca mais parou. Tornou-se uma referência por buscar conhecimento além dos treinos: é pós-graduado em nutrição esportiva, fitoterapia e nutrição oncológica.

3. Jim Cordova

Com uma definição de dar inveja em muitos atletas não-naturais, Jim Cordova é um verdadeiro exemplo para quem não deseja utilizar fármacos para alterar o desempenho. Ele também apresenta um volume muscular significativo.

Os desafios da carreira

Como já ficou bastante claro no tópico sobre prós e contras, essa carreira é cheia de desafios. Então, por que não encará-los?

Em relação aos circuitos “não tão naturais assim”, pode-se dizer que os patrocinadores ainda não enxergaram o devido valor das competições naturalistas. Um artigo da Vice, feito após a cobertura de alguns eventos de bodybuilding natural na França, compara valorização dos atletas naturais aos atletas que apostas nos esteroides.

Para continuar vivendo a paixão do esporte, muitos esportistas se veem na obrigação de participar de torneios que têm premiações melhores. Nesse contexto, muitas vezes é necessário competir com quem usa anabolizantes. Isso, é claro, torna o processo competitivo muito mais desafiador. Afinal, como se não bastasse toda a disciplina, você ainda precisa superar aqueles que contaram com uma ajudinha extra.

Enfim, é perfeitamente possível ser um fisiculturista natural. Apesar de ser uma carreira com alguns obstáculos a serem superados, ela é recompensadora.

E aí, gostou do texto? Aproveite para conhecer alguns hábitos que podem atrapalhar seus resultados nos treinos!