whey protein

Whey Protein pode aumentar o sistema de defesa imunológico?

Nos últimos anos, muitos trabalhos e pesquisas foram desenvolvidos sobre as proteínas do soro do leite, os resultados dos estudos demonstraram suas qualidades nutricionais desta fonte proteica, também conhecida como whey protein. As proteínas do soro são extraídas da porção aquosa do leite, gerada durante o processo de fabricação do queijo, o mais engraçado é que durante muito tempo o soro do leite era desprezado por este ramo da indústria, era considerado um problema, pois representava um contaminante do solo e rios.

A maioria esmagadora dos consumidores de whey protein buscam seus benefícios relacionados à síntese e ressíntese de proteínas musculares, o foco do consumidor é quase sempre estético ou desempenho físico. Porém até mesmo os consumidores que visam estes resultados acabam sendo beneficiados pelos efeitos do whey ao sistema imunológico.

O consumo da whey protein (proteína do soro do leite) poder trazer reais benefícios, já que esta fonte proteica possui alto valor nutricional, alta concentração de aminoácidos essenciais e assim pode auxiliar no metabolismo de síntese proteica (anabolismo muscular), devido a grande concentração de cálcio pode ajudar no controle de perda de massa óssea, possui alto poder sacietógeno (regulação da saciedade), devido à presença de cálcio ainda pode influenciar diretamente no metabolismo das gorduras (redução da gordura corporal), aumento do desempenho físico através da melhora na recuperação dos tecidos musculares, efeito hipotensivo (peptídeos bioativos, que atuam como agentes anti-hipertensivos) , antioxidante (combatendo radicais livres através de glutationa) e hipocolesterolêmico através da redução da concentração de triacilgliceróis e diminuição do risco cardíaco (Colesterol Total – HDL/ HDL), estimulação do sistema imunológico através da presença das imunoglobulinas (Ig’s), atividades anticarcinogênicas e antiúlcera.

Trata-se de uma verdadeira bomba de nutrientes com muitas implicações metabólicas benéficas. As proteínas do soro do leite possuem proteínas estáveis estruturalmente. As frações, ou peptídeos do soro, são constituídas por: beta-lactoglobulina (BLG), alfa-lactoalbumina (ALA), albumina do soro bovino (BSA), imunoglobulinas (Ig’s) e glico-macropeptídeos (GMP).
Na década de 80 desenvolveram-se pesquisas analisando os efeitos de diferentes fontes proteicas sobre a produção de imunoglobulinas.
Descobriu-se que as proteínas do soro do leite foram muito eficientes no estimulo à síntese destas glicoproteínas e também na síntese de glutationa.
Isto porque as imunoglobulinas do leite permanecem quase que integralmente no soro e continuam a desempenhar função importante, não somente no sistema gastrointestinal, mas sistemicamente em todo o organismo. Esta, por sua vez, exerce um poder estimulatório sobre linfócitos capazes de sintetizar imunoglobulinas. No ano de 2000 e 2002 foram realizados estudos aqui no Br onde observou-se que dietas contendo whey protein (WPC) estimularam a síntese de imunoglobulina M no baço e a síntese de glutationa no fígado de camundongos mais do que qualquer outra fonte de proteína testada.

A glutationa por sua vez possui papel fundamental na biotransformação e eliminação de compostos químicos estranhos e na defesa das células contra o estresse oxidativo. Já as imunoglobulinas são anticorpos que se ligam a antígenos estimulando reação do sistema imunológico no combate a tal elemento estranho. Verifica-se através destas informações a grande influencia das proteínas do soro do leite ao sistema imunológico e como este alimento pode fornecer substrato para as defesas do organismo.