Tire suas dúvidas sobre Whey Protein!

A atividade física, principalmente quando é realizada com treinamentos mais intensos — como a musculação —, causa uma grande influência na fisiologia do organismo humano. Assim, o metabolismo de proteínas e o consumo de oxigênio, por exemplo, são profundamente afetados e acelerados.

Nesse sentido, os avanços da ciência nutricional esportiva indicam os motivos pelos quais uma adequada alimentação pode promover a condição saudável da atividade física, a reposição dos nutrientes e a otimização dos resultados.

O suplemento Whey Protein é, portanto, uma das melhores fontes de proteína e um dos principais aliados de quem quer aumentar a massa muscular (massa magra). Sua elevada concentração de proteínas, somada à sua rápida absorção, faz desse suplemento uma excelente opção quando a necessidade nutricional é de aporte proteico.

Quer saber mais sobre o Whey Protein e como ele pode te ajudar a obter resultados mais rápidos na academia? Confira o nosso artigo de hoje! Boa leitura!

O que é Whey Protein?

O leite de vaca que você conhece é, do ponto de vista nutricional, um produto riquíssimo. Sua composição fornece proteínas da mais elevada qualidade e, além disso, em quantidades expressivas. O leite in natura possui cerca de 3,5% de seu peso em proteínas.

As proteínas do leite de vaca são constituídas por 4 grupos proteicos básicos:

  • Caseínas (75% a 85%);
  • Proteínas do soro do leite (15% a 22%);
  • Proteínas da membrana dos glóbulos de gordura (traços);
  • Proteínas minor (traços).

As proteínas do segundo grupo (proteínas do soro do leite) são as que constituem o suplemento Whey Protein. Na língua inglesa, “whey” é o nome dado ao soro do leite. Portanto, “whey protein” significa “proteína do soro do leite”. Esse suplemento hiperproteico é obtido a partir da filtração e da microfiltração do soro do leite bovino que, por sua vez, trata-se de um subproduto da produção de queijos.

O suplemento Whey Protein é exatamente isso: o conjunto hiperproteico extraído do soro do leite de vaca. Ele pode ser obtido de diferentes formas através do soro do leite bovino que, por sua vez, trata-se de um subproduto da produção de queijos.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), uma fórmula hiperproteica é aquela que possui quantidade de proteínas igual ou superior a 20% do valor energético total do produto considerado.

Sua característica mais marcante é o seu elevado teor nutricional, em função da qualidade de seus aminoácidos (valor nutricional acima da média das proteínas mais comuns) e da presença de diversos peptídeos bioativos em sua composição.

O suplemento Whey Protein é considerado a fonte mais concentrada de aminoácidos essenciais existente. Por essa razão, é também a fonte de proteínas mais popular atualmente. Ele é muito procurado por atletas profissionais e praticantes de atividades físicas, em especial aquelas que buscam o aumento da massa muscular (hipertrofia).

Composição do suplemento Whey Protein

O suplemento Whey Protein é constituído, essencialmente, por proteínas e por componentes dessas proteínas — em menor quantidade, ele ainda contém alguns outros nutrientes.

As proteínas são grandes cadeias sequenciais de aminoácidos. Ocorre que, junto com elas, muitas vezes, estão presentes outros componentes originários da própria estrutura das proteínas.

Esses componentes podem aparecer na forma de aminoácidos (suas unidades estruturais) e na forma de peptídeos (combinações de dois ou mais aminoácidos da proteína original). Os mais importantes componentes constituintes do suplemento Whey Protein são:

Aminoácidos de cadeia ramificada (conhecidos pela sigla em inglês BCAA)

Três aminoácidos compõem o BCAA: a leucina, a isoleucina e a valina. Esses constituem três dos nove chamados “aminoácidos essenciais” (aqueles que o corpo precisa, mas não consegue produzir, exigindo sua ingestão pela alimentação ou pela suplementação).

Leucina e valina, em conjunto, trabalham na formação e no reparo dos tecidos (pele, ossos e músculos), assim como na proteção e na nutrição dos músculos. A isoleucina, por sua vez, auxilia a formação da hemoglobina do sangue. A bioquímica do corpo pode, ainda, fazer uso da isoleucina para a produção de glicose.

Peptídeos bioativos

Peptídeos são fragmentos de proteínas constituídos por dois ou mais aminoácidos. Os peptídeos bioativos são aqueles que, além de seu papel como nutriente, apresentam funcionalidades no organismo, participando ou promovendo de eventos na bioquímica do corpo.

No suplemento Whey Protein estão presentes, principalmente, os seguintes peptídeos bioativos:

  • Alfa-lactoglobulina;
  • Beta-lactoglobulina;
  • Alfa-lactoalbumina;
  • Imunoglobulinas;
  • Glicomacropeptídeos;
  • Entre outros.

Dentre as principais possibilidades de ação dos peptídeos bioativos estão as de atuar como imunoestimulantes (que estimulam o sistema imunológico), como hipocolesterolêmicos (que diminuem os índices de colesterol) e como anticarcinogênicos (que reduzem a incidência de câncer).

Carboidrato

O carboidrato existente na composição do suplemento Whey Protein é a lactose. A lactose é um açúcar e o único carboidrato presente no leite, tem como característica ser de lenta digestão e de baixo índice glicêmico, por este motivo seu impacto na dieta é insignificante. Também é interessante observar que esse açúcar existe apenas no leite e em seus derivados.

Sua decomposição na digestão fornece glicose e galactose. Existe um tipo de Whey Protein no qual a proteína é isolada, quase pura. Nesse suplemento os teores de lactose podem chegar a zero.

Gorduras

As gorduras existentes na composição do suplemento Whey Protein estão em quantidades bem pequenas ou quase nulas, dependendo do tipo do suplemento (proteína concentrada ou isolada).

A proteína isolada contém apenas traços de gordura ou não a contém, enquanto a concentrada depende de seu percentual de concentração (de 30% a 80% de proteína, aproximadamente). Quanto mais proteína na composição do suplemento, menor a presença de gorduras e outros constituintes.

Para saber a exata composição do suplemento, basta verificar, no rótulo da embalagem, a porcentagem de cada componente. Afinal, cada marca comercial pode apresentar um valor diferente, isto é, quantidades diferentes de cada um desses itens.

Cálcio, ferro e sódio

Dentre os micronutrientes, destacam-se o cálcio, o ferro e o sódio como componentes do suplemento Whey Protein. Com relação específica ao cálcio, sua presença no Whey Protein (600 mg/100 g) é maior do que nos derivados lácteos (queijos, coalhadas, ricota, etc.).

Por que utilizar Whey protein?

Existem muitas razões para a adoção do suplemento Whey Protein como fonte proteica:

  • É o maior concentrado de proteínas disponível;
  • É solúvel em água;
  • É de fácil e rápida absorção pelo organismo;
  • Fornece proteína para construção de massa magra, sem fornecer carboidratos e gorduras;
  • É rico em aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA);
  • Pode ser utilizado por pessoas de qualquer idade;
  • Traz inúmeros benefícios para o organismo do atleta.

Quando o suplemento Whey Protein é ingerido, ele atua, principalmente, protagonizando os seguintes efeitos no organismo:

  • Facilita a síntese proteica;
  • Favorece a recuperação muscular;
  • Reduz a fadiga do treino;
  • Reduz a gordura corporal.

O trabalho de revisão bibliográfica “Proteínas do soro do leite: composição, propriedades nutricionais, aplicações no esporte e benefícios para a saúde humana”, realizado no ano de 2006 e publicado na Revista de Nutrição, destaca os possíveis efeitos hipotensivo (diminui a pressão arterial), antioxidante (caça radicais livres) e hipocolesterolêmico (diminui o colesterol) do Whey Protein.

Esses efeitos são alcançados porque a ingestão concentrada dos aminoácidos necessários é maior do que aquela obtida na alimentação. Como as demandas dos praticantes de atividades físicas são bem maiores, o suplemento Whey Protein torna-se uma alternativa muito boa. Isso justifica o seu sucesso junto aos praticantes de musculação e aqueles que necessitam de uma boa suplementação proteica.

Tipos de Whey Protein

Existem três formas de apresentação de Whey Protein, com diferentes e crescentes teores de proteínas e capacidades de absorção pelo organismo humano. Em função do processo de purificação a que se submetem durante sua produção (concentração, isolamento ou hidrólise), essas formas podem ser:

Proteína concentrada

É a forma mais simples e com menos processamento na sua elaboração. Apresenta uma composição que varia de cerca de 30% até pouco mais de 80% de proteína. Comercialmente, é mais comum sua apresentação com 80%.

O restante da composição é dividido entre outros nutrientes (carboidratos e gorduras, principalmente). Dos três tipos, a concentrada é a forma que apresenta o menor preço, em função do processo de produção ser mais simples.

No entanto, é a que possui as menores concentrações de proteínas e os maiores teores de carboidrato e gorduras — embora pequenos e insignificantes. De todo modo, é a mais consumida pelos praticantes. Em termos de sabor, também é a mais aceita.

Proteína isolada

Essa é a forma mais pura da proteína do soro do leite, com mais de 90% de proteína em sua composição. Além de passar pelos processos de filtragem, também é submetida à purificação por troca iônica.

É um pouco mais cara que a forma concentrada. No entanto, pode chegar a 99% de proteína e contém pouquíssima ou nenhuma gordura ou carboidrato em sua composição. Seu sabor é menos suave que a proteína concentrada.

Proteína hidrolisada

O processo de hidrólise quebra parcialmente a proteína, deixando-a dividida entre peptídeos e aminoácidos livres, o que permite maior agilidade em sua absorção. Os peptídeos mais comuns na proteína hidrolisada são os di e tripeptídeos (formados por dois e três aminoácidos, respectivamente).

Os dois tipos anteriores — concentrada e isolada — podem ser transformadas em hidrolisada. A forma hidrolisada do suplemento Whey Protein é a mais cara das três disponíveis e deve ser utilizada no pós-treino. Sua estrutura é mais cristalina e seu sabor é mais “aguado”.

Existem produtos disponíveis no mercado que misturam dois ou os três tipos de Whey Protein em um único produto.

Quem pode tomar?

De modo geral, o suplemento Whey Protein pode ser utilizado por qualquer pessoa, com algumas exceções. Por ser um suplemento hiperproteico, o Whey Protein só deve ser utilizado a partir de orientação nutricional para que seu consumo não seja excessivo para as características e atividades físicas do consumidor.

As principais exceções para o consumo do suplemento Whey Protein são:

Portadores de deficiências renais

Pessoas com deficiências renais são bastante suscetíveis à sobrecarga de metabólitos de proteínas passando pelos processos de filtragem dos rins. Nesses casos, essas pessoas devem procurar orientação médica para saber de suas condições renais antes de fazer uso de qualquer suplemento proteico.

Quer entender melhor a razão desse cuidado? Quando proteínas (qualquer proteína, de qualquer origem) são digeridas, o metabolismo do corpo gera compostos de nitrogênio como resíduos que devem ser excretados, necessariamente. Esses compostos são muito tóxicos para o organismo humano.

Quando a ingestão de proteínas é concentrada e elevada, a quantidade dos compostos nitrogenados residuais também será muito grande. Desse modo, os órgãos responsáveis por sua eliminação — os rins —, poderão ficar sobrecarregados no trabalho de filtrar e encaminhá-los para excreção.

Portadores de fragilidades hepáticas

O fígado é responsável por mais de 600 funções no organismo. Dentre elas, estão algumas relacionadas às proteínas do corpo:

  • Quebrar as proteínas em aminoácidos;
  • Sintetizar os aminoácidos não essenciais;
  • Sintetizar as proteínas essenciais;
  • Converter a amônia em ureia.

Pessoas que têm o sistema hepático abalado não conseguem processar grandes quantidades de proteínas — intoxicando o organismo, sobretudo pela dificuldade de metabolizar a amônia, subproduto muito tóxico do metabolismo de proteínas.

Por outro lado, um fígado nessas condições não será capaz de produzir os aminoácidos e as proteínas que constituem a massa muscular.

Intolerantes à lactose

A lactose é o açúcar do leite, presente também nos derivados lácteos. Sua digestão no intestino se dá por ação da enzima lactase. No entanto, o organismo de algumas pessoas produz pouca ou nenhuma enzima lactase.

Nessas condições, ao ingerir leite ou laticínios, tal organismo não processará a digestão da lactose. Esse açúcar, então, ficará acumulado no intestino grosso, onde fermentará por ação de bactérias. O resultado será a produção de ácido lático e gases, provocando diarreia e cólicas.

Pessoas com esse quadro são consideradas com intolerância à lactose. Essas pessoas só devem fazer uso do suplemento Whey Protein na sua forma isolada e quando o teor de lactose for zero. A forma concentrada do suplemento pode conter quantidades desse açúcar suficientes para fazer com que se manifestem os sintomas da intolerância.

Alérgicos à proteína do leite de vaca (APLV)

Embora seja muito mais comum a ocorrência de alergia à proteína do leite de vaca (APLV) em crianças pequenas, qualquer pessoa com APLV não deve fazer uso de nenhum dos tipos do suplemento Whey Protein.

Quando tomar?

As principais recomendações referentes ao melhor momento para utilização do suplemento Whey Protein apontam para o pós-treino imediato. Após as atividades físicas, existe uma grande demanda de aminoácidos para regeneração dos tecidos lesados pela musculação.

Por outro lado, para aqueles que realizam seus treinos cedo e seu café da manhã é uma refeição leve, pode-se indicar a utilização do suplemento Whey Protein cerca de 30 minutos antes. O objetivo dessa opção é permitir um aporte nutricional extra, considerando as longas horas sem alimento durante a noite de sono.

Pode, ainda, ser recomendável a utilização nos dois momentos apontados. Ressalva-se, porém, a necessidade da prescrição profissional, a fim de serem adequadamente consideradas as variáveis de cada um (tipo físico, tipo e intensidade do treinamento, alimentação, etc.).

Quanto tomar de Whey Protein?

A dosagem para o consumo diário do suplemento Whey Protein deve ser total e adequadamente personalizada por um profissional de Nutrição. Em especial, considerando os aspectos apontados a seguir:

  • Idade;
  • Tipo físico;
  • Treinamento realizado;
  • Tipo de Whey Protein utilizado;
  • Dieta habitual do indivíduo

De modo geral, têm sido adotadas dosagens da ordem de 30 a 60 g, em 200 ml de água. Como o suplemento vem em pó, recomenda-se o seu consumo com água, antes de qualquer outro. Desse modo, otimiza-se uma importante característica do Whey Protein, que é a sua rápida absorção. O uso do leite, por exemplo, retarda a absorção da proteína.

Adquira Whey Protein de fornecedor idôneo

Um cuidado especial deve ser tomado na escolha do fabricante do seu suplemento Whey Protein. Existem dezenas de marcas do produto e muitas têm sido suspensas e recolhidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), por descumprimento das regras legais de rotulagem.

A legislação (Resolução RDC 360/2003) considera uma variação de até 20% nos teores indicados na embalagem e o conteúdo real. Acima disso, os produtos são reprovados nos testes. Ocorre que muitos fornecedores oferecem um produto comercial cuja composição não é exatamente a que está demonstrada na embalagem.

Mais comumente, tem sido encontrado um excesso de carboidrato no lugar de proteína. Essa incorreção pode comprometer todo o seu treinamento, em razão da ingestão de quantidade de proteína bem menor que a indicada para a aquisição de massa muscular, por exemplo.

O Whey Protein não trabalha sozinho

Você já pôde perceber que o Whey Protein é uma excelente alternativa para o suprimento proteico, certo? No entanto, você também deve saber que não basta ingerir o suplemento com água para dar tudo como resolvido.

Afinal, o Whey Protein não trabalha sozinho. Qualquer que seja o motivo pelo qual você fará uma suplementação proteica (tratamento de saúde, complementação alimentar, prática esportiva, aumento de massa muscular, etc.), em nenhum caso a simples ingestão do produto é suficiente.

Para adquirir os resultados que o suplemento Whey Protein pode proporcionar é necessário um trabalho em conjunto de diversas variáveis. Veja, a seguir, como operam os “companheiros de equipe” do Whey Protein para ter sucesso nos objetivos pretendidos.

Plano de alimentação

Se você pretende adquirir massa muscular, é certo que você deverá planejar sua alimentação: o que comer, quando comer e quanto comer. A prescrição de uma dieta alimentar específica para o tipo de treinamento (no caso, musculação) é imprescindível.

Um profissional de Nutrição poderá elaborar para você a dieta mais adequada, já definindo também as quantidades e os horários mais indicados.

Plano de treinamento

Da mesma forma, você não deve sair por aí levantando qualquer peso. Um profissional de Educação Física poderá elaborar um plano de treinamento adequado para você, conforme sua idade, seu tipo físico, sua estatura, seu condicionamento, etc.

Nesse plano será definido o número de treinos por semana, as séries, a duração, os intervalos de descanso e tudo o que for necessário para trabalhar o seu corpo em prol do objetivo pretendido e otimizar os resultados.

Prescrição da dosagem do suplemento

Você estará em trabalho de musculação e isso aumentará sua demanda por nutrientes, principalmente por proteínas. O mesmo profissional que elaborou o seu plano de alimentação fará a prescrição das dosagens do suplemento Whey Protein.

Em função de suas características físicas e do plano de treinamento que foi elaborado, as dosagens serão especificadas, assim como o tipo de Whey Protein que você utilizará.

Prescrição do momento de ingestão

Juntando o plano de treinamento, o plano de alimentação e a prescrição do Whey Protein, o profissional de Nutrição definirá qual é o momento mais adequado para a ingestão do suplemento — se antes ou depois do treino.

Período de descanso

Finalmente, o seu orientador físico que elaborou o plano de treinamento já definiu os seus períodos de descanso. Dê muita atenção a esse detalhe, que muitos desprezam sem entender sua importância: a massa muscular é desenvolvida durante o sono.

Neste post você ficou sabendo que o Whey Protein é um suplemento alimentar produzido a partir do soro do leite, resultante da fabricação de queijos, e que ele pode ser apresentado nas formas de proteína concentrada, isolada ou hidrolisada — cada uma com concentrações diferentes de proteínas.

Além de fornecer proteínas e aminoácidos para um bom desempenho esportivo, assim como para o ganho de massa magra, o Whey Protein também oferece diversos benefícios para a saúde como, por exemplo, o fortalecimento do sistema imunológico e a redução do colesterol.

Aqui você também viu que o Whey Protein é o maior concentrado proteico utilizado na atualidade, e que pode ser consumido por pessoas de diversas idades. No entanto, apesar de ser uma excelente opção para o aporte de proteínas, o suplemento não trabalha sozinho na hora de alcançar os objetivos que você pretende para o seu corpo.

Como frisamos ao longo do artigo, é necessário um planejamento e disciplina para conquistar o corpo que você deseja. Agora é só iniciar (ou dar prosseguimento) aos seus projetos para o condicionamento físico do seu corpo sabendo que, quando precisar de proteínas, a melhor opção é o Whey Protein.

Um excelente treino para você! Aproveite para curtir a nossa página no Facebook e não perca nenhuma novidade!