Shake de açaí

Shake de açaí: Energia para o seu dia

Receitas com Açaí é o que mais encontramos aqui na internet. Shakes, sorvetes, cremes, batidas… Nosso propósito com este texto é levar conhecimento, lhe explicar o porquê uma preparação com Açaí pode te dar energia para o dia.

Esta bem, antes de tudo vai lá ua preparação:
Shake de Açaí com cacau em pó.
Ingredientes:
– 3 colheres de sopa de leite desnatado.
– 2 bolas de creme de açaí.
– Cacau em pó a gosto.
– 1 xícara de chá de morango picado.
Bata no liquidificados o leite, sorvete de açaí e cacau em pó. Após deixar com aspecto homogêneo bata os morango deixando pequenos pedaços.

O Açaí é uma fruta que apresenta variações acentuadas, a composição química da porção comestível e da bebida açaí pode ser discrepante. Tal fato é explicado, em parte, pela alta variabilidade genética da espécie. Outro aspecto que deve ser considerado é a variação na metodologia de avaliação dos autores, há diferentes formas de avaliação que podem resultar em resultados distintos para composição nutricional. De um modo geral a parte comestível do fruto apresenta alto valor calórico de 262kcal/100g, enquanto que a bebida açaí, dependendo da quantidade de água adicionada durante o processamento, tem valor energético menor, 80kcal/100g. O valor energético da bebida “açaí” é determinado, em grande parte, pelos lipídios, haja vista que as quantidades de proteínas e, principalmente, de açúcares totais são baixas
Além do valor energético, a polpa de açaí também é um alimento relativamente rico em minerais, principalmente em potássio, cálcio, fósforo, magnésio e ferro, e em vitaminas E e B1. O óleo extraído do açaí tem ácidos graxos de boa qualidade contendo 60% de monoinsaturados e 13% de poliinsaturados. O açaí possui 13% de proteínas sendo superior ao leite (3,50%) e ao ovo (12,49%).
Energia/calorias: Açaí é uma fruta altamente energética, pode ser usada como alimento antes de uma sessão de exercícios sendo assim capaz de fornecer energia ao tecido muscular. Músculo sem energia não rende, por isso “abastecer a maquina é necessário!”
Os micronutrientes potássio, cálcio, fósforo, magnésio e ferro, e em vitaminas E e B1 agem como da seguinte forma:
– Cálcio: esta envolvido nas reações bioquímicas que resultam na contração e relaxamento dos músculos. Para que ocorra a contração muscular o sistema depende da disponibilidade dos íons cálcio e o relaxamento muscular depende da ausência ou diminuição deste íon.
– Fósforo: assim como o cálcio, é vital para a construção de ossos e dentes fortes. Compõe a estrutura das células e é importante em muitas reações bioquímicas, como no metabolismo energético. As quantidades de fósforo e cálcio precisam estar em equilíbrio entre si para que exerçam suas funções.
– Magnésio: é fundamental na contração e relaxamento muscular, participa ainda do sistema imunológico, na formação de anticorpos e na ativação de diversas enzimas.
– Ferro: é essencial para o transporte de oxigênio para o corpo, uma dieta deficiente pode causar redução considerável no desempenho do indivíduo.
– Vitamina E: Durante o exercício físico nosso organismo produz radicais livres, os quais, se não forem devidamente neutralizados, podem iniciar um processo deletério nas células e tecidos, chamado de estresse oxidativo, ocasionando diversas doenças, incluindo as neuro-degenerativas, cardiovasculares, câncer e o próprio processo de envelhecimento. Para o organismo protegere-se destes elementos existe uma complexa rede de defesa antioxidante, a vitamina E participa ativamente nestes mecanismos de defesa protegendo auxiliando os mecanismos de defesa do organismo.
– Vitamina B1:  Fundamental para o metabolismo dos carboidratos, proteínas e gorduras, pois atua como coenzima para as reações de síntese de energia. Por ser essencial ao metabolismo dos carboidratos, quando há grande consumo deste macronutriente ou em situações de grande esforço físico, deve-se aumentar o consumo de tiamina para evitar sinais de deficiência.