Saiba como incluir a proteína da soja na sua dieta

Recentemente popularizada e incluída nas mais diversas dietas, a proteína da soja vem ganhando cada vez mais reconhecimento, o que faz com que seus efeitos precisem ser estudados pela comunidade médica a fim de esclarecer dúvidas e desmistificar conceitos.

Se você já pensou em incluir a substância em sua rotina, ou mesmo se a ideia nunca passou pela sua cabeça, ainda assim, você está no lugar certo!

No post de hoje, esclarecemos a funcionalidade da proteína da soja em uma dieta, mostrar por que ela ganhou tanta popularidade e destacar os prós e contras do uso, além de esclarecer definitivamente os mitos que envolvem a administração do alimento no dia a dia.

Vamos lá? Tenha uma ótima leitura!

A soja e suas propriedades

Antes mesmo de ser pensada como suplemento esportivo, a soja já era a queridinha das dietas. É comprovado que o grão, rico em proteínas, possui diversos benefícios para a saúde.

Ela ajuda na diminuição dos níveis do colesterol ruim (o LDL) além de contribuir para o crescimento dos níveis do colesterol bom (o HDL). Isso acontece em função da quantidade de ômega 6 presente no alimento.

Além disso, a inclusão da soja em uma dieta consegue amenizar os efeitos do climatério em mulheres. Ela possui semelhanças com o hormônio estrogênio e funciona como um tipo de modulação hormonal, capaz de diminuir sintomas como fogachos (as ondas de calor), comuns nessa fase da vida feminina, marcada por flutuações hormonais.

É possível acrescentar diversas características benéficas que o grão proporciona na saúde, como a melhora no trânsito intestinal, prevenção do câncer de mama em mulheres (comprovado por pesquisa e publicação na revista do Instituto Nacional de Câncer da universidade de Oxford, na Inglaterra), fortalecimento dos ossos, entre outras.

Essas são as implicações mais comuns, que acabam sendo facilmente esclarecidas num bate papo com algum nutricionista.

Fato novo, porém, é aquele que diz respeito às propriedades que a proteína da soja possui em dietas, dando destaque àquelas dietas associadas com a prática de exercícios físicos.

Proteína da soja e suas dietas adjacentes

Estudos realizados ao redor do mundo começaram a focar na proteína da soja e nos benefícios de seu uso associado à prática de atividade física.

Havia muita dúvida a respeito da possível eficácia e as pesquisas vieram justamente para responder a estes questionamentos e esclarecer conceitos, fazendo com que as pessoas que optem por utilizar essa fonte de proteína, possam fazê-lo sem dor de cabeça ou insegurança.

A proteína de soja  — principalmente a proteína isolada de soja — possui a propriedade de rápida digestão após consumo. Além disso, é rica em arginina, composto que aumenta a oferta de oxigênio e nutrientes pelo sangue, proporcionando aumento considerável no rendimento do praticante de atividade física regular.

Como incluir a proteína na dieta

Sabendo que é possível usufruir dos benefícios da proteína da soja em sua dieta, é hora de saber mais a respeito das melhores formas de consumo, além do momento ideal no qual ele deve ser realizado.

Veja, a seguir, como isso pode ser feito!

Seguindo o melhor horário

Foram realizadas pesquisas específicas que comprovam o fato de que o melhor horário para o consumo de soja é antes do treino. Essa é uma ótima estratégia, pois além do alto teor de arginina, a proteína da soja também estimula a produção de óxido nítrico pelo organismo.

Ao consumir a proteína antes de realizar seus treinos, os níveis de óxido nítrico aumentarão. Isso faz com que os nutrientes percorram o sangue com muito mais facilidade, pois as artérias sofrem um processo de dilatação, aumentando o fluxo sanguíneo em todos os seus músculos.

Aumento de fluxo sanguíneo = ganho de massa muscular!

Além disso, a soja também auxiliará na recuperação de seus músculos.

Se alimentando das melhores opções da proteína

Caso a sua vontade seja de se alimentar da proteína a partir de alimentos já existentes, como em almoços e cafés da manhã, saiba que diversas opções podem te agradar.

A proteína pode ser encontrada em diversos alimentos como o tofu, o leite de soja, a farinha de soja, entre outros.

Para quem é vegetariano, a soja é uma ótima opção que substitui a carne! Carnes de soja são alimentos ricos em nutrientes, como as proteínas, tão presentes naquelas opções “de verdade”.

Existe, ainda, uma maneira ainda melhor de promover o consumo de soja na sua dieta. Ela é nada mais, nada menos, do que a soja enquanto suplemento alimentar. Vendida como proteína isolada de soja, pode ser usada como fonte de proteína em qualquer refeição.

A quantidade aconselhada pelo ministério da saúde é a de uma porção de 25 gramas por dia. Esse valor não traz prejuízo algum para a saúde, muito pelo contrário, já consegue agir de maneira eficaz na redução dos níveis de colesterol.

Estudos já puderam comprovar que dietas ricas em proteína isolada de soja tem, além de todas as vantagens já citadas, a capacidade de atenuar a perda da função renal.

A forma mais indicada de consumo é feita com a diluição do pó da proteína em água.

Mitos e verdades esclarecidos

A popularização da proteína da soja enquanto suplemento alimentar fez com que, além dos questionamentos levantados, alguns mitos acabassem se disseminando.

Estamos aqui para dizer que vários deles são mentiras, e muito mais do que isso, mentiras comprovadas em estudos realizados por profissionais da saúde, no âmbito nacional e internacional!

Observe abaixo os principais deles!

A soja diminui os níveis de testosterona nos homens?

Fique tranquilo, pois esse é um grande mito!

As pessoas acreditam que a soja poderia diminuir a testosterona no organismo masculino por causa de uma coisa que já falamos acima.

Lembra quando foi falado que a soja tem a capacidade de “imitar” o hormônio sexual feminino, ou seja, o estrogênio? Pois é! Acreditava-se que, pelo fato de eles conseguirem reproduzir as propriedades do hormônio, eles agiriam da mesma forma nos homens.

Estudos recentes afirmam que não, isso não acontece no organismo masculino. Eles não agem da mesma forma que agem no corpo de uma mulher, ou seja, não afetarão em nada os níveis do hormônio masculino.

A soja consegue aumentar o nível de estrogênio no organismo?

Novamente, a resposta é não. Além de se preocuparem a respeito de uma possível diminuição de testosterona, homens que realizam o uso de proteína de soja nas dietas também levantam questionamentos a respeito de um possível aumento nos níveis de estrogênio no corpo, o que colocaria em evidência e aumentaria características femininas em homens.

Não foi apenas um estudo, porém nove, que conseguiram desmistificar o conceito e dizer que ele é uma grande mentira. Os níveis de estrogênio não afetam as características masculinas de um homem, nem provocam nenhum aumento perigoso para ninguém.

Ela tem responsabilidade no aumento dos níveis hormonais?

Sim. Isso é, inclusive, o que faz com que a proteína da soja seja cada vez mais querida pelos adeptos a atividades físicas. Este aumento hormonal é positivo e ajuda na eficácia e alcance de resultados satisfatórios nos mais diversos treinos!

Ela é responsável pelo aumento do hormônio do crescimento (GH), muito importante na regulação do crescimento e da composição corporal de uma pessoa, e isso acontece por causa de seus aminoácidos e da arginina, que promovem o aumento do hormônio.

É possível perder peso?

Um estudo realizado com 83 homens e mulheres, todos obesos e realizando tratamentos que visam o emagrecimento, conseguiram comprovar que a soja ajuda sim na perda de peso.

Os grupos que estavam realizando tratamento com a soja, unida com a redução de ingestão de alimentos gordurosos foram aqueles que mais perderam peso. Além de perder gordura, eles conseguiram preservar seus níveis de massa muscular magra.

Ou seja: sim, quando unida com o grupo certo de alimentos, a soja ajuda muito na perda saudável de peso.

Ela reduz a possibilidade de câncer de próstata?

Estudos afirmam que o consumo de proteína de soja pode ser significantemente associado com uma redução nos riscos de câncer de próstata. A soja ativou um mecanismo capaz de diminuir a ativação de agentes cancerígenos no organismo, regulando genes que poderiam ser responsáveis pela iniciação, promoção ou desenvolvimento dos tumores.

As pesquisas continuam acontecendo, porém com resultados cada vez mais animadores. É possível, então, dizer que sim! É verdade!

Existência de contra-indicações

Como acontece com a ingestão de qualquer suplemento alimentar, a proteína isolada deve possuir acompanhamento com nutricionista caso seja consumida por crianças, gestantes, portadores de alguma enfermidade ou idosos.

Pessoas que possuem alergia a soja, obviamente, não devem consumir a substância.

Desvendando todos os mistérios que envolvem o assunto, é possível saber que uma dieta saudável e que tenha como objetivo resultados eficazes e saudáveis pode, com toda a certeza, caminhar lado a lado com o consumo da proteína da soja.

E então? Acredita que a opção é válida e se encaixaria bem na sua dieta? Se você gostou deste conteúdo, não deixe de assinar a nossa newsletter para receber todas as nossas novidades direto em seu e-mail!