A queima de gordura é maior no frio ou no calor?

Tem gente que detesta, tem gente que gosta muito, eu particularmente sinto mais preguiça no frio, mas para todos que conseguem “render” nos treinos e praticar uma boa dieta no inverno podem conseguir melhor resultado com dietas de redução de peso.

O fato é que uma estratégia tanto buscada através da suplementação acontece de maneira natural no frio, os termogênicos são suplementos que podem fazer o individuo gastar mais calorias, queimar mais gorduras do que normalmente poderiam fazer. O fato é que no frio o corpo terá mais trabalho para manter a temperatura corporal, por este motivo o gasto calórico aumenta. Quando o individuo executa uma dieta com menos calorias do que o organismo gasta a gordura será usada como fonte de energia com mais eficiência do que no quando o organismo esta em ambiente quente.

 

Maior queima de gordura no frio justifica-se pois, quando a temperatura ambiente é menor do que a temperatura corporal o corpo perde calor para o meio externo mais facilmente e, na tentativa de manter a temperatura corporal constante e adequada (36,8 °C ± 0,7 °C), o organismo aumenta a produção interna de calor, aumentando o metabolismo e, consequentemente, o gasto calórico diário.

 

Os nutrientes são usados pelas células para promover contração e relaxamento, movimento que por sua vez gera calor, no frio uma das estratégias do nosso corpo para gerar calor é o tremor, o tremor dos músculos gera calor, nos quais os músculos produzem calor à custa da energia dos alimentos, por este motivo aumentando o gasto calórico.

 

Mas cuidado com esta informação!
Não se pode pensar que o gasto será maior a ponto de permitir-se extrapolar na dieta, ou até mesmo abandoná-la de vez. O aumento na demanda calórica é mínimo, aumento que poderia ser uma “ajuda” potencializando os efeitos de uma boa dieta, mas não se pode esperar que sentir frio seja capaz de transformar o corpo. Para emagrecer no inverno/frio mantenha-se em dieta, busque alimentos de boa qualidade e alto valor nutricional, exclua o máximo possível de alimentos industrializados na sua rotina e consuma o máximo que puder de alimentos naturais, no seu lixeiro de cozinha tenha mais cascas e bagaços do que plásticos e papelão. Busque uma dieta elaborada por profissional nutricionista, treine intensamente e sob orientação de um profissional de educação física, seus investimentos em tempo gasto na academia e dinheiro investido na mensalidade da mesma trarão retornos garantidos.

 

Sobre ir para academia e treinar no frio, a prática de exercícios irá aumentar o gasto calórico, no calculo onde se diagnostica o gasto calórico total consideram-se as calorias gastas durante os exercícios serão somadas aquelas gastas em repouso. Por isso não se desespere pensando que precisa aumentar a intensidade e/ou frequência dos treinos no inverno, mantenha-se em dieta, seja consistente no trabalho muscular que os resultados vem!

 

Assim como treinar no frio não emagrece “mais”, suar excessivamente também não traz benefícios, pelo contrário pode resultar em queda do desempenho e problemas de desidratação. Da mesma forma que existe maior trabalho pelo organismo para manter a temperatura corporal no frio, o organismo terá também maior trabalho no calor. No frio nosso organismo gera tremores, no calor gera suor, são duas estratégias para regular a temperatura corporal, e que se bem aproveitadas podem ser interessantes para redução de gorduras.

 

Material elaborado por Nutricionista Esportivo Diogo Círico – CRN 10 – 2067
R.T. Growth Supplements