proteínas complementares

Proteínas complementares

Empiricamente o termo “proteínas complementares” é usado para descrever uma combinação entre duas ou mais fontes de proteínas incompletas, de forma que tal combinação forneça todos os aminoácidos essenciais dentro de uma refeição.

O que é a proteína?

Funciona da seguinte forma: As proteínas são estruturas moleculares de alto peso molecular, são constituídas através de partes menores chamadas de aminoácidos, nosso organismo necessita de 20 tipos de aminoácidos diferentes, 8 destes aminoácidos são chamados de aminoácidos essenciais pois nosso organismo não consegue produzi-los. Já os outros doze aminoácidos podem ser produzidos por nosso organismo a partir dos aminoácidos consumidos via dieta.

Desta forma podemos dizer que os alimentos fontes de proteínas simples são na verdade fontes de aminoácidos. Um alimento fonte de proteínas pode fornecer os 20 aminoácidos que nosso organismo necessita ou pode fornecer apenas alguns deles. Quando este alimento fornecer todos os 20 aminoácidos ele será chamado de “alimento fonte de proteínas completas”. Quando este alimento deixar de fornecer um ou mais dos aminoácidos essenciais ele será chamado de “proteína incompleta”, o aminoácido essencial que não estiver presente no alimento ou mesmo que esteja presenta mas em quantidade insuficiente para que o organismo se desenvolva de forma ideal será chamado de “aminoácido limitante”.

Tipos de proteínas

A população em geral tem dado o nome de “proteínas complementares” quando através de uma combinação, através de dois ou mais alimentos combinados em uma refeição obtemos assim os 20 tipos de aminoácidos. É uma espécie de quebra-cabeças, um alimento limitado, quando combinado a outro alimento limitado produzem uma composição completa. Esta estratégia é muito usada por indivíduos vegetarianos/veganos. Isso porque os alimentos fonte de tipos de proteínas completas são de origem animal ou derivados deles. Proteína da Carne, de carnes vermelhas, frango, peixe, ovos, leite são alimentos fontes de proteínas completas. Já os vegetais como cereais, hortaliças, frutas, sementes entre outros podem oferecer nutrientes e proteínas excelentes para a dieta, mas não possuem todos os aminoácidos. Por este motivo os indivíduos que não consomem alimentos de origem animal precisam se preocupar em fazer combinações adequadas com os alimentos para que as refeições tornem-se completas em aminoácidos essenciais.

As principais fontes de proteína

Ao lado das fontes de proteína animal, classicamente consideradas como de alto valor biológico, tem sido demonstrado que misturas de vegetais, como de um cereal e de uma leguminosa, também resultam em misturas protéicas de alto valor biológico. No Brasil, a principal fonte protéica da alimentação é derivada da ingestão de arroz e feijão. Esta mistura tem adequado teor nitrogenado, supre os aminoácidos essenciais e tem digestibilidade ao redor de 80%.
Mais combinações possíveis para obter todos os aminoácidos essenciais:
– Amaranto (cereal) + Lentilha (leguminosa)
– Milho (cereal) + Grão de bico (leguminosa)
– Quinua (cereal) + Ervilha (leguminosa)

Suplemento de proteína

Para garantir as quantidades de proteína que seu corpo precisa, nada melhor que a proteína suplementos alimentares. Eles são opções práticas para encontrar esse nutriente concentrado e com rápida absorção pelo corpo. Dessa forma, eles podem ser aplicados de modo estratégico na programação nutricional, favorecendo o ganho de massa muscular e o resultado nos treinos. Eles podem ter origem tanto animal, como o Whey Protein, Proteína da Carne, Albumina e Caseína. E também origem vegetal, como a Proteína da Soja, Proteína do Arroz ou Proteína da Ervilha. Na lista de suplementos não deixe de incluir o Whey Concentrado e o Blend de Proteínas.