treino

Maltodextrina ou Dextrose: Entenda as diferenças

Quem pratica musculação em busca da boa forma sabe que, quando o objetivo é ganhar músculos, o consumo adequado de carboidratos é tão importante para o treino quanto a ingestão de proteínas.

Consumo adequado dos carboidratos

Essa afirmação é verdadeira porque, sem o consumo adequado de carboidratos, o nosso organismo não consegue obter a energia suficiente para se manter em atividade e recorre às reservas energéticas musculares, o que leva à perda de massa magra — e não é nada disso que você procura quando pratica atividades físicas, certo?

Para garantir que o seu corpo tenha a energia necessária para executar os exercícios durante a malhação, o mais indicado é fazer a suplementação com base em dois suplementos complementares: malto e dextrose.

Nesse momento, é muito comum surgirem diversas dúvidas: qual a quantidade certa, quando devo tomar os suplementos, quais os efeitos de cada um no organismo e quais as principais diferenças entre maltodextrina e dextrose?

Algumas pessoas, sem possuir o conhecimento adequado, disseminam vários mitos e teorias sobre esses nutrientes, confundindo e prejudicando o treinamento de quem é disciplinado e leva a musculação a sério.

Por isso, no post de hoje, selecionamos um conteúdo especial com tudo que você precisa saber para utilizar a malto e a dextrose da maneira correta, alcançando todos os benefícios que elas podem oferecer para o seu treino.

Vamos apresentar a composição e a função de cada uma, além de explicar a forma correta de consumi-las e as principais diferenças entre elas.

Ao final do nosso artigo, você será capaz de usar esses suplementos alimentares da forma correta, melhorando o seu desempenho sem desperdiçar recursos.

Boa leitura!

Maltodextrina: O que é e como funciona?

A energia obtida por meio dos nutrientes é indispensável para o bom funcionamento do organismo. Por esse motivo, os carboidratos, como a maltodextrina, são chamados de nutrientes essenciais.

Eles são encontrados em diversas fontes, tais como vegetais, granola, cereais, pães e massas em geral, conforme você já sabe.

Quem pratica atividades físicas regularmente e quer conquistar a boa forma também já sabe que é importante garantir a presença dos carboidratos na dieta de maneira bastante equilibrada para preservar a massa muscular conquistada com a musculação. É aqui que a suplementação alimentar surge como ajuda fundamental.

A maltodextrina — ou simplesmente malto — pertence ao grupo dos chamados carboidratos complexos, aqueles que são digeridos de forma mais lenta pelo nosso organismo e, por isso, proporcionam um aumento lento e gradual da glicemia (a taxa de glicose no sangue, disponível para ser capturada pelas células).

A malto é formada por várias moléculas de açúcar unidas, entre elas, a maltose, a frutose e a dextrose. Na natureza, a malto pode ser encontrada em fontes como mandioca, batata-doce, milho, arroz e pão integral.

Como tomar maltodextrina

No mercado dos suplementos, a malto pode ser encontrada nas versões em forma de gel ou em pó, com sabores diversos. O que diferencia cada uma delas é a forma de consumo: o gel pode ser ingerido diretamente do sachê, e o pó precisa ser diluído em água para ser consumido. Geralmente, a embalagem a apresenta a indicação de como tomar maltodextrina.

Apesar de ser um carboidrato complexo, a malto possui um alto índice glicêmico devido à existência de cadeias de ligação mais curtas entre as moléculas, fáceis de serem quebradas.

Isso faz com que a absorção da malto seja um pouco mais rápida que a dos demais carboidratos complexos. Essa é uma característica muito importante desse suplemento, que você vai entender melhor mais adiante.

Por esse motivo, a malto é um excelente aliado quando o assunto é evitar o catabolismo muscular!

Ocorre que, ao aumentar o nível de insulina na corrente sanguínea, a malto promove o aumento do fluxo de glicose para o interior das células, fornecendo a energia necessária para o treino e evitando que o organismo utilize as reservas energéticas musculares.

Agora que você já sabe exatamente o que é e como a malto age no organismo, veja quais são os três principais benefícios de incluir esse suplemento na sua alimentação para, em seguida, saber qual é a maneira adequada de consumi-lo.

Benefícios da Maltodextrina

A maltodextrina retarda a fadiga

A maltodextrina promove um aumento mais lento da curva glicêmica, mantendo a oferta de glicose no sangue por um período mais prolongado. Você pode usar os malto benéficos para a nutrição esportiva.

Ou seja, ela fornece energia de forma contínua e gradual durante a execução dos exercícios, o que retarda a fadiga muscular e melhora o desempenho ao longo do treino.

Isso significa que, durante a malhação, você terá energia na medida certa para realizar todas as séries com o máximo desempenho possível.

A maltodextrina ajuda na hipertrofia muscular

A sustentação da curva glicêmica por um período maior aumenta o fornecimento de glicose às células e protege as reservas energéticas dos músculos, favorecendo o ganho de massa muscular.

Por isso, o consumo de carboidrato, ao contrário do que muitas pessoas pensam, promove o ganho de força e aumento do volume dos músculos.

A maltodextrina evita episódios de hipoglicemia

Quando o treino é muito extenso e puxado, podem ocorrer episódios de hipoglicemia devido à elevada exigência energética da atividade física. O corpo parece não responder mais aos comandos, e surge uma fraqueza intensa que pode levar até mesmo à tonteira e desmaios.

Nesse momento, a malto é muito valiosa para proteger o organismo dessa carência, justamente por promover níveis ideais de glicose no sangue (a chamada glicemia) durante todo o treino.

Confira agora qual é a maneira certa de consumir a malto para aproveitar todos os benefícios que ela pode proporcionar para o seu organismo e ao seu desempenho durante a malhação.

Como tomar corretamente?

A princípio, a maltodextrina é um suplemento que deve ser consumido antes do treino, pois o objetivo é garantir que o corpo tenha energia suficiente para realizar os exercícios sem atingir os níveis de fadiga rapidamente.

Alguns especialistas indicam o consumo de malto também durante os treinos, especialmente se eles forem de longa duração, ou se, além da musculação, forem realizadas atividades aeróbicas.

A quantidade ideal varia de um esportista para outro e é influenciada por fatores como peso, velocidade do metabolismo e nível de treino. Por isso, é sempre bom procurar a orientação de um nutricionista antes de iniciar a suplementação.

Além dos praticantes de musculação, os adeptos de esportes de resistência — como corrida ou ciclismo — também podem se beneficiar com a suplementação de malto.

No entanto, nos dias de descanso, não é aconselhável tomar a maltodextrina. Por se tratar de um carboidrato, a sua ingestão pode levar ao aumento da gordura corporal.

Considerados todos os detalhes sobre a maltodextrina, vamos conhecer melhor as características e os efeitos da dextrose, para então podermos fazer uma comparação entre os dois suplementos. Confira!

Dextrose: O que é e como funciona?

Por ser pertencente ao grupo dos carboidratos simples — aqueles com estrutura molecular reduzida, formados por apenas uma molécula de açúcar — a dextrose é digerida de forma rápida pelo organismo, provendo energia imediata para as células.

Como tomar dextrose

A dextrose está disponível no mercado nas versões em pó ou em gel, ambas com sabores variados.

Graças à sua estrutura simples, esse suplemento possui um índice glicêmico elevado, liberando insulina rapidamente e provocando um aumento do nível de gdlicose no sangue poucos minutos após a sua ingestão.

Embora muitos esportistas fiquem preocupados devido à elevada concentração de calorias desse nutriente, é preciso entender que, quando consumido da maneira adequada, sobram motivos para incluir a dextrose na rotina alimentar. Vamos entender melhor essa questão agora. Não há segredos sobre como tomar dextrose, mas é preciso aproveitá-la de acordo com as necessidades de cada atleta.

Benefícios da Dextrose

Motivo 1 — A dextrose promove a regeneração muscular

A ingestão de dextrose ajuda na recuperação dos músculos, pois o organismo consegue, de forma praticamente imediata, a energia necessária para realizar os processos metabólicos relacionados à regeneração e à hipertrofia musculares, reparando as microlesões e preservando o tecido muscular.

Assim como você precisa da proteína para formar os músculos, o carboidrato também é importante para preservar o tecido muscular e garantir o ganho contínuo de massa magra.

Motivo 2 — A dextrose melhora a absorção de nutrientes

Graças ao seu alto índice glicêmico, a dextrose eleva os níveis de insulina no sangue, o que faz com que as células absorvam os nutrientes processados pela digestão de forma mais eficiente.

É como se a proteína, as vitaminas e os sais minerais pegassem uma carona nas moléculas de glicose, sendo transportados de forma mais rápida para dentro das células.

Assim, os demais suplementos, tais albumina e creatina, são absorvidos mais rapidamente, o que melhora o aproveitamento dessas substâncias pelas células, promovendo o ganho de massa muscular e a recuperação do organismo de forma geral.

Pensando no investimento financeiro feito por quem utiliza suplementos alimentares, esse benefício do consumo de dextrose é bastante estratégico.

Motivo 3 — A dextrose evita o catabolismo muscular

Uma vez que a dextrose fornece energia rapidamente, ela evita que o organismo utilize as reservas energéticas dos músculos, especialmente após treinos muito intensos ou longos.

Por isso, se você treinou bastante, não precisa se preocupar com as calorias contidas na dextrose. Elas serão processadas e usadas rapidamente e, quando estocadas, transformam-se em glicogênio, não em gordura.

Mas, para garantir todos esses efeitos positivos, é preciso tomar alguns cuidados essenciais no consumo da dextrose, como vamos mostrar a seguir.

Qual a maneira certa de tomar?

Por ser um carboidrato de rápida absorção, a indicação inicial para o consumo da dextrose é que ela seja ingerida após o treino.

Essa orientação vale tanto para praticantes de musculação quanto para os fãs dos esportes de resistência.

Desse modo, a dextrose ajuda a garantir a absorção de todos os nutrientes necessários para promover o ganho de massa muscular, evitando o desperdício no consumo dos suplementos alimentares.

No entanto, é necessário consultar um nutricionista para estabelecer a quantidade correta de dextrose a ser consumida.

De fato, os mesmos fatores que influenciam o consumo de malto também estão presentes no caso da dextrose: peso, velocidade do metabolismo, intensidade e duração do treino, entre outros.

Assim como acontece com a maltodextrina, o consumo de dextrose fora dos dias de treino pode acarretar ganho de peso devido ao aumento do percentual de gordura corporal.

Nesse momento, considerando as características e benefícios de ambos os suplementos, malto e dextrose, você pode estar se perguntando sobre as diferenças entre eles. É exatamente sobre isso que falaremos na próxima seção. Vamos lá!

Maltodextrina ou Dextrose?

Como você já sabe, malto e dextrose pertencem ao grupo dos carboidratos. Esses nutrientes são conhecidos como a primeira fonte de energia para que o corpo possa se manter em movimento ao longo do dia, seja executando as ações mais simples até as mais vigorosas, sem nos esquecermos da atividade cerebral: é com a glicose encontrada nos carboidratos que o nosso cérebro funciona.

Por isso, para quem pratica musculação ou esportes de resistência, o consumo de carboidratos tem importância estratégica e, nesse momento, é possível destacar as principais diferenças entre malto e dextrose, que são mínimas, conforme você vai perceber.

Primeiramente, quanto à sua estrutura molecular, a malto é um carboidrato complexo (um polissacarídeo, formado por cadeias de açúcares unidas), e a dextrose é um carboidrato simples (um monossacarídeo, formado apenas por uma molécula de glicose).

Mas qual é a diferença funcional observada a partir da diferença estrutural entre malto e dextrose?

A diferença está na velocidade de absorção pelo organismo

Isso faz com que a velocidade de absorção dos dois suplementos seja diferente, sendo que a dextrose é processada de maneira mais rápida pelo organismo, em comparação com a malto.

Você se lembra de quando comentamos, no início do nosso artigo, sobre o índice glicêmico da maltodextrina ser elevado? Pois, então, quando comparada a outros carboidratos complexos, a maltodextrina possui um índice glicêmico mais alto e, por isso, é absorvida mais rapidamente pelo organismo, fazendo dela um importante suplemento para preservar a massa muscular.

Dessa forma, a dextrose é uma fonte de energia rápida e imediata, elevando de modo acelerado os níveis de glicose no sangue. Por outro lado, a malto oferece energia de maneira lenta e gradual, mantendo regulares os níveis de glicose no sangue ao longo do exercício.

Além das diferenças na digestão e absorção, é interessante destacar outros pontos na comparação entre malto e dextrose que o ajudarão a aproveitar todos os benefícios desse suplemento.

Índice glicêmico

Uma pequena diferença no índice glicêmico — que é de 111 para a dextrose e de 105 para a maltodextrina — faz com que cada um desses suplementos seja mais favorável para momentos específicos do treino.

O índice glicêmico é uma pontuação utilizada para determinar qual a capacidade que um carboidrato tem de elevar a glicemia no sangue e, consequentemente, a insulina.

Assim, na comparação, a dextrose tem o índice glicêmico maior que a malto. Por isso, a indicação geral é que a dextrose seja consumida após o treino, quando o organismo precisa repor as reservas energéticas de forma mais rápida.

Porém, o índice glicêmico da malto é alto, o que faz com que ela seja uma boa opção também no pós-treino.

Para saber exatamente qual é o horário mais benéfico para consumir cada suplemento, é fundamental que o seu uso seja orientado por um nutricionista.

Esse profissional irá considerar as especificidades de cada atleta para recomendar o consumo dos suplementos, além de prescrever um plano alimentar personalizado, conforme veremos a seguir.

A importância do acompanhamento profissional no uso de suplementos

Assim como no consumo de outros suplementos alimentares, existem alguns riscos relacionados à ingestão de malto e dextrose quando ela é feita sem o devido acompanhamento profissional.

Para começar, quem tem diabetes ou pessoas com histórico de hipoglicemia não devem consumir maltodextrina ou dextrose, pois ambos elevam a concentração de glicose no sangue, o que pode ser extremamente perigoso nesses casos.

Além disso, para conquistar a tão sonhada boa forma, a ingestão diária de nutrientes faz toda diferença, não apenas na quantidade, como também no horário em que determinados alimentos são consumidos.

Por isso, o acompanhamento profissional tem importância fundamental quando se trata de suplementação alimentar.

Entenda o trabalho do nutricionista

O nutricionista é o profissional graduado em Ciência da Nutrição, cujo conhecimento clínico e prático permite a análise das demandas nutricionais de cada pessoa e a prescrição de um plano alimentar personalizado, de modo a suprir todas as necessidades energéticas.

Com a orientação e acompanhamento do profissional certo, o consumo de malto e dextrose, bem como de todos os outros suplementos alimentares destinados aos praticantes de musculação, pode ser feito de maneira mais segura, promovendo todos os benefícios para o organismo e ajudando a alcançar os objetivos do treino de maneira mais efetiva.

Chegamos ao final do nosso artigo! Graças ao conteúdo que compartilhamos aqui, você já sabe quais são as características e as diferenças entre dextrose e maltodextrina e está pronto para consumi-los de maneira adequada.

Dentre as principais vantagens oferecidas por esses suplementos estão a prevenção da perda de massa muscular e o fornecimento de energia na medida certa para a malhação.

Além disso, malto e dextrose favorecem a absorção de proteínas, vitaminas e outras substâncias essenciais para garantir os melhores resultados com o treino.

Entretanto, é importante considerar que, por se tratarem de suplementos alimentares, para se beneficiar do seu consumo, o organismo precisa de um aporte diário, bem como de um tempo para se adaptar e responder a todos os estímulos nutricionais e funcionais da malto e da dextrose.

Como toda suplementação alimentar, trata-se de uma escolha diária e de um investimento a longo prazo, que exige bastante disciplina e foco para alcançar os objetivos definidos.

Por isso, é importante não descuidar da alimentação diária, optando por uma seguir uma dieta balanceada e rica e todos os grupos de nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo, entre vitaminas, proteínas, sais minerais, gorduras e carboidratos.

Quer conferir mais dicas sobre alimentação ou sobre como alcançar resultados melhores com o seu treino? Curta a página da GSuplementos no Facebook e tenha acesso a conteúdos especialmente selecionados para ajudar você a manter a boa forma!