glutamina

Glutamina, o suplemento que oferece o sistema imunológico contribuí para melhor funcionamento o intestino. Entres outras coisas…

Glutamina é considerado o aminoácido livre encontrado em maior concentração no corpo humano, aprox. 20% do plasma sanguíneo, aprox. 60% de todos os aminoácidos presentes no músculo que serão usados para fabricação de outros aminoácidos. Nosso organismo pode obter glutamina de três formas:
– Síntese endógena: Nosso organismo pode fabricar este nutriente a partir de outros como ácido glutâmico, valina e isoleucina. Esta fabricação é limitada por alguns aspectos orgânicos o que pode resultar em fabricação de quantidade insuficiente em alguns casos.
– Consumo via dieta através de alimentos de origem animal e vegetal. Na alimentação, as maiores fontes são: peixe, ovos, leite, carne de porco, carne, aves, iogurte, queijo ricota, queijo cottage.
Os vegetais parecem apresentar apenas a Quinua como alimento rico neste aminoácido.
– Consumo de glutamina via suplementação, nesta forma o aminoácido está isolado e por isso trata-se da forma mais eficiente de aumentar a concentração de glutamina no organismo.

A estratégia de suplementação com glutamina isolada foi primeiramente aplicada na área hospitalar, devido as implicações ao sitema imune e consequentemente melhora da resposta orgânica de recuperação pós-exercícios ela dói adotada no meio esportivo também. A glutamina pode contribuir para o sistema imunológico da seguinte forma:
– Aumento da barreira intestinal, mecanismo do sistema imunológico que evita permeabilidade intestinal, tal situação poderia aumentar a passagem de substâncias indesejáveis, fato que pode gerar inflamações tais como, álcool, fumo, medicamentos, estresse e má alimentação (falta de fibras, excesso de açúcar e gorduras, principalmente as trans). Importante entender: “um individuo inflamado não se recupera bem de uma sessão de treino exaustiva”.
– Glutamina forma citrulina que gera arginina que é um ativador de mTOR, que por sua vez favorece a síntese proteica, melhorando a cicatrização
– Glutamina gera prolina que forma colágeno, tecido fundamental para manter a integridade da mucosa gástrica,, Um individuo integridade gástrica terá maior absorção de nutrientes e assim maior nutrição do organismo.

– Glutamina associada a cisteína (presente também no repolho) e glicina são formadoras de glutationa, que desempenha papel na detoxificação de organelas e células afetadas por elementos tóxicos muitas vezes consumidos via dieta.
– a glutamina é um importante substrato celular não apenas por ser um aminoácido, mas por também ser fonte de energia – de nitrogênio e de carbono – para a síntese de outras moléculas; a glutamina é uma fonte energética importante para macrófagos, linfócitos e demais células do sistema imunológico.

Por este motivo as células do sistema imune apresentam elevada atividade de glutaminase (enzima que degrada glutamina), sendo assim considerados tecidos consumidores de glutamina.

Glutamina e sua atuação no intestino:
– O intestino capta glutamina onde é usada na via metabólica de síntese de novo de glicose (gliconeogênese).
– Conforme citado, glutamina aumenta a barreira intestinal, este efeito beneficia inúmeras doenças e desordens gastrointestinais como: síndrome do colón irritável, entre outras.