Creatina

Creatina: saiba tudo sobre a fase de saturação.

Creatina é uma molécula presente nas reações bioquímicas de formação de

energia, 95% da creatina presente no organismo esta armazenada na célula

muscular. Nosso organismo tem capacidade de produzir 1gr de creatina ao dia,

já a alimentação pode oferecer até 1gr de creatina ao dia. Estes valores

acabam sendo equivalente à taxa de degradação de creatina pelo organismo,

ou seja, temos um empate entre o que consumimos/fabricamos e o que

gastamos. A ciência esportiva estuda os benefícios do aumento da

concentração de creatina além destes níveis que podemos ingerir e produzir.

Observam-se benefícios ao tecido muscular com aumento da concentração

muscular de creatina, aumento de força e volume muscular são os mais

significantes para os praticantes de atividade física. Já a

manutenção/preservação da massa muscular evitando a sarcopenia é um

objetivo muito significante no aumento da qualidade de vida de idosos.

Aumento das funções cognitivas em indivíduos portadores de Alzheimer, além

de melhora no quadro de algumas doenças degenerativas.

Melhora do quadro clinico da depressão, além do tratamento de muitas outras

condições patológicas, tudo é observado quando conseguimos provocar um

saldo positivo entre a quantidade de creatina que consumimos/fabricamos e o

que degradamos.

A célula muscular possui determinado espaço para armazenamento de

creatina, os seus benefícios são observados quando conseguimos saturar

estes espaços, ocupa-los em sua totalidade. Este fenômeno de saturação

pode ser feito através do uso de uma dosagem continua de creatina ou de uma

fase inicial e curta duração de consumo de uma dosagem mais elevada.

A forma de suplementação mais utilizada é a ingestão diária de um total de

20gr de creatina monoidratada, divididas em quatro doses iguais de 5gr, quatro

vezes ao dia por 5 a 7 dias. Esta fase de curta duração é chamada de fase de

saturação, justamente porque é possível saturar os estoque e assim observar

os benefícios da suplementação. Após esta fase inicial mantém-se a ingestão

de 5g de creatina apenas uma vez ao dia será suficiente para manter saturados

os estoques até o final do período desejado para suplementação.

Por outro lado podemos provocar a saturação dos estoques de creatina no

tecido muscular usando apenas uma dose de 5gr uma vez ao dia, seguindo

com este volume de suplemento até o final do período desejado. Através deste

protocolo de consumo seriam necessários até 27 dias para promover a

saturação dos estoques e podermos observar 100% dos seus benefícios.

Independente do protocolo usado no início da suplementação, podemos

observar que a estratégia chamada de fase de saturação é na verdade apenas

uma forma de antecipar os benefícios, fazer com que as células sejam

ocupadas por creatina fosfato em menor espaço de tempo e assim aproveitar

os benefícios da creatina antecipadamente.

Engana-se quem diz que a fase de saturação é necessária, assim como

também se engana quem diz que qualquer uma das duas formas de

suplementar são iguais.