Creatina micronizada

Creatina micronizada: conheça suas funções e benefícios

Conforme as tecnologias avançam, novos produtos chegam ao mercado, prometendo efeitos cada vez mais rápidos e eficazes. Isso não é diferente no universo dos suplementos. Um dos produtos mais falados do momento é a creatina micronizada, que já virou febre nas academias e nos centros esportivos. Mas junto com as novidades sempre surgem as dúvidas: Será que esse suplemento é melhor do que os outros? Quais são as suas funções? Quanto devo tomar? Para te ajudar na busca dos melhores suplementos para a sua dieta, nós respondemos às perguntas mais frequentes sobre a creatina micronizada e mostramos as principais diferenças em relação às outras versões do produto. Confere aí!

Para que serve a Creatina?

De modo geral, os suplementos de creatina ajudam no ganho de reservas energéticas, aumento da massa muscular magra e maior resistência durante a prática de exercícios físicos. A creatina é produzida naturalmente pelo homem e fica armazenada nos músculos, sendo usada como fonte de energia para a produção do trifosfato de adenosina, mais conhecido como ATP, que é o combustível usado para a contração muscular. Porém, a quantidade de proteínas sintetizadas pelo corpo nem sempre é suficiente para suprir todas as nossas necessidades diárias.

A suplementação geralmente é indicada pelos profissionais da saúde no caso de atletas que praticam esportes de força e curta duração, pois há um grande gasto de energia durante os exercícios físicos e é difícil alcançar os níveis esperados de creatina somente com a alimentação diária. Para ter uma ideia, um atleta precisa ingerir 3g de creatina micronizada por dia; essa mesma quantidade só poderia ser obtida com um consumo diário de aproximadamente 1kg de carne ou peixe.

Benefícios da Creatina para a construção da massa muscular

Tipos de Creatina: Monohidratada, Micronizada ou Alcalina

Atualmente, a creatina pode ser encontrada nas versões monohidratada, micronizada e alcalina. As principais diferenças entre elas são o tipo de filtragem e a velocidade de absorção. A creatina monohidratada é de lenta absorção, pois passa por um processo de filtragem simples. Esse suplemento é bastante popular por ter um preço mais baixo e ser amplamente estudado pelos cientistas. Já a creatina micronizada traz resultados mais rápidos, pois é quebrada em partículas menores, sendo facilmente absorvida pelo organismo. A menos conhecida entre as três opções é a creatina alcalina, que tem um pH mais elevado. Essa característica faz com que ela fique estável por mais tempo em uma solução líquida, aumentando ainda mais o seu potencial de absorção.

Creatina Micronizada: Como tomar creatina?

O efeito da creatina é cumulativo, por isso é importante que ela seja ingerida todos os dias, em qualquer horário, mesmo quando não houver treino. Muitas pessoas recomendam o processo inicial de saturação, que consiste na ingestão de 20g de creatina, divididos em quatro doses diárias de 5g, por 5 a 7 dias. Após essa fase, a dose passaria para 5g de creatina uma vez ao dia, até atingir o período desejado de suplementação.

Com o lançamento de produtos que são rapidamente absorvidos pelo organismo, como a creatina micronizada, muitas pessoas abandonaram essa prática, passando a ingerir diariamente 3g do suplemento, sem a necessidade de saturação. Mesmo podendo ser consumida por anos, pode haver uma redução dos seus efeitos ergogênicos quando o uso é feito sem interrupção. Nesse caso, a recomendação é que a creatina seja consumida durante 14 semanas, com uma pausa de um mês para o início de um novo ciclo.