Creatina e as funções cerebrais

Creatina e as funções cerebrais

A cada dia que passa, através dos avanços da ciência da nutrição são evidenciados mais benefícios com uso de nutrientes isolados, seja em condições patológicas ou seja na melhora da qualidade de vida de indivíduos normais. O que era antes prescrito apenas a atletas de alto nível não pode mais ser negligenciado à indivíduos comuns tendo como base as informações sobre os diversos benefícios obtidos.

A creatina já é o xodó dos praticantes de atividade física a muito tempo, vem sendo usada por estimular o aumento de força e volume muscular, isto porque esta molécula energética é responsável pela formação de energia e ajuda o músculo esquelético no desenvolvimento de suas funções, tanto que creatina é considerada hoje em dia um excelente suplemento para prevenir a redução de massa muscular em idosos. Creatina esta distribuída em nosso organismo pelos músculos, cérebro, testículos, fígado e rins.

Nos últimos anos têm sido desenvolvidas inúmeras pesquisas buscando entender os efeitos da creatina sobre o desempenho cognitivo. Esse interesse da ciência estuda os efeitos do aumento da concentração de fosfocreatina no cérebro, os vários estudos analisaram não somente o processamento cognitivo experimental, aquele induzido pela privação de sono, mas também aquele natural que acontece após o envelhecimento com o passar dos anos. Em ambas as situações observou-se que o aumento da concentração de fosfocreatina no cérebro melhora a função cognitiva. A suplementação de creatina pode ser aplicada a idosos, pacientes portadores de Alzheimer, indivíduos com depressão além de outras doenças neurodegenerativas.