Creatina e terceira idade

Creatina: como ela pode ajudar na terceira idade

Creatina é um nutriente encontrado naturalmente no tecido muscular, trata-se de um nutriente fundamental no sistema gerador de energia das células musculares. Ela é fabricada por nosso organismo no tecido hepático, rins e pâncreas a partir dos aminoácidos glicina e arginina. Também podemos consumir creatina através dos alimentos como carne vermelha e peixes.  A produção de nosso organismo pode chegar a 1gr ao dia, assim com este esmo valor podemos encontrar a creatina consumida via dieta totalizando 2gr/dia. A taxa de degradação, ou seja, o consumo pelo próprio organismo chega a estas 2gr resultando em equilíbrio na produção X taxa de degradação.

A mais de 20 anos quando foi demonstrada que ao consumirmos maior quantidade de creatina poderemos estocar mais creatina no tecido muscular, diversas pesquisas tem sido realizadas para verificar os efeitos do aumento da concentração de creatina para diversas populações. Atualmente já está bem descrito os efeitos benéficos da suplementação para praticantes de atividade física com características de alta intensidade e curta duração. Porém a cada dia estão sendo descobertos novos benefícios com a suplementação de creatina. Até certo tempo atrás se pensava que creatina poderia gerar algum malefício ou complicação para órgãos como rins e fígado, porém hoje em dia este mito já não é mais disseminado pelas academias e pelo contrario, a creatina até é usada para tratamentos renais. Outra população especial que vem recebendo a indicação de creatina é a terceira idade.

A perda de massa muscular (sarcopenia) assim como a redução de densidade mineral óssea (osteoporose), está entre as principais condições patológicas apresentadas por este público. Existem muitas pesquisas comprovando que o treinamento de força pode atuar reduzindo a perda de massa muscular e massa óssea. Sabendo que a creatina também possui este efeito pesquisadores começaram a realizar pesquisas usando creatina em idosos para reduzir com intuito de reduzir massa muscular e massa óssea.
Uma das pesquisas realizou uma comparação entre idosos que consumiram creatina e idosos que não consumiram, estes testes mostraram que a suplementação com creatina mostrou aumento da disposição em indivíduos com 60 anos.
Outros estudos mostraram que a creatina quando associada ao treinamento de resistência aumentou a massa magra, força, a resistência e potencia em homens com idade média de 70 anos.

Neste caso podemos notar um dos maiores benefícios da creatina, o aumento da síntese de novas proteínas musculares, o que se mostra um aspecto extremamente importante para a classe da terceira idade, uma vez que a manutenção de massa muscular garante a autonomia do idoso, previne quedas e aumenta a qualidade de vida.

Hoje se sabe que associação de creatina com exercícios de força, mesmo que estes sejam realizados em menor intensidade pode gerar melhores condições de vida devido a melhora da capacidade funcional.

A população idosa trata-se de uma população especial e que merece toda atenção para que haja melhora na qualidade, de vida. A suplementação com creatina, desde que administrada da forma correta pode trazer inúmeros benefícios e aumento da qualidade de vida desta população.