Cortisol e cafeína: entenda essa relação

Vivemos em uma rotina que prega a praticidade e a funcionalidade a cada momento. O tempo está cada vez mais corrido, transformando a tarefa de se manter produtivo com energia em algo muito difícil. É justamente aí que recorremos ao café, nosso maior aliado! Correto?

Nem tanto. Caso o consumo seja muito exagerado, ele pode se transformar no seu pior inimigo.

Isso acontece quando a substância é combinada com um hormônio presente em nosso organismo: o cortisol. A união de cortisol e cafeína, quando em níveis excessivos, tem o poder de prejudicar a sua saúde em diversos sentidos.

Pensando nisso, desenvolvemos um conteúdo que tem como objetivo esclarecer definitivamente a relação entre cortisol e cafeína e, além disso, te ajudar a promover um consumo controlado, priorizando a qualidade de vida e maior eficácia nos treinos. Vamos lá?

Cortisol: o hormônio do stress

O cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais, ou seja, aquelas localizadas acima dos rins. Sua principal função é auxiliar o organismo a controlar os níveis de estresse, que podem surgir a qualquer momento.

Você já se sentiu confuso sobre o que deveria falar ou pensar em algum momento importante ou crucial na sua vida? Se esqueceu de toda a matéria da escola ou faculdade na hora de fazer alguma prova? O famoso “branco” nada mais é do que uma espécie de “jato” de cortisol que, ao ser liberado em seu corpo, inibe o funcionamento do cérebro, além de enfraquecer o músculo e aumentar a pressão sanguínea.

Sua função também é a de prever acontecimentos que estão provocando grande carga de nervosismo para que, assim, o seu corpo saiba que é hora de diminuir o ritmo e dar uma acalmada (como em momentos onde são realizados grande quantidade de esforço físico, por exemplo).

Quando os níveis de cortisol estão muito baixos, no entanto, você provavelmente se sentirá cansado, desmotivado e ansioso.

Algumas implicações positivas do hormônio (quando ele está controlado, nos níveis recomendáveis) são:

  • aumento nas funções da memória;
  • aumento na imunidade;
  • menor sensibilidade à dores;
  • aumento de energia;
  • colabora na homeostase, ou seja, a capacidade que seu corpo tem de funcionar em harmonia e de se manter estável e equilibrado.

Tenha em mente, porém, que quando os níveis do cortisol estão acima do recomendado, você pode acabar se deparando com situações bem chatas na sua saúde. Elas podem variar de pequenos desconfortos, até possíveis doenças mais sérias.

Mas não se preocupe! Vamos falar sobre isso tudo nos tópicos a seguir.

O perigo dos altos índices de cortisol no organismo

Conhecendo um pouquinho sobre o que é o hormônio e como ele funciona dentro de seu corpo quando se encontra em níveis normais, é hora de descobrir o contrário: qual o perigo que o cortisol pode proporcionar para o seu organismo?

  • aumento de peso;
  • problemas para reter líquidos;
  • fraqueza;
  • pressão alta;
  • dificuldade de cicatrização;
  • manchas vermelhas no corpo;
  • doenças como a osteoporose, diabetes, colesterol alto;
  • alteração no ciclo menstrual.

O aumento dos níveis do hormônio pode acontecer por diversos motivos, como uma rotina estressante, sono irregular e possíveis disfunções já existentes em seu organismo, porém, no texto de hoje, vamos destacar em especial um motivo aparentemente desconhecido: o consumo descontrolado de café.

Cortisol x cafeína

A cafeína possui total relação com os níveis de cortisol no organismo de uma pessoa.

Beber café em excesso tem o poder de estimular a produção do hormônio no corpo e, caso ele seja realizado de forma imprudente, sua saúde sofrerá graves consequências. Porém, vale lembrar que qualquer alimento ou substância, ao ser administrada de forma imprudente, tem a capacidade de prejudicar a sua saúde. Não é só com o café!

A relação do cortisol com a cafeína é justamente essa. Os níveis de cortisol sofrem um aumento, fazendo com que nosso corpo careça por atividades físicas que consigam queimar os níveis do hormônio. Nossas necessidades ao beber café, no entanto, raramente estão relacionadas com atividades de alto rendimento.

Portanto, quando bebemos café na intenção de dar um “gás” na rotina e sermos mais ativos, na verdade existe a probabilidade do efeito ser contrário e você ficar estressado.

Acima de tudo é importante frisar que cada organismo age de forma diferente. A cafeína e o cortisol provocam efeitos diferentes nas pessoas, não sendo possível “padronizar” os prejuízos e benefícios do uso do café. Não o veja como um inimigo, mas sim como um alimento como outro qualquer que deve ser ingerido de forma moderada.

Tenha em mente que seu organismo pode metabolizar a cafeína de maneira diferente do que de algum amigo ou familiar.

A cafeína, inclusive, possui diversos benefícios para o organismo de uma pessoa. Ela aumenta a concentração, melhora a disposição e acelera o metabolismo basal, sendo uma ótima alternativa para aquelas pessoas que praticam esportes.

A união com o cortisol, inclusive, já apresenta benefício comprovado por estudos! Pesquisadores da Nova Zelândia comprovaram que uma certa dose de cortisol e cafeína, quando unidas, têm o poder de aumentar os níveis de testosterona no organismo do homem de maneira saudável. A opção, inclusive, foi crucial para beneficiar atletas e adeptos a exercícios físicos.

Para manter os níveis de cortisol equilibrados no organismo e, dessa forma, continuar usufruindo dos benefícios que a cafeína pode trazer, existe uma quantidade indicada que deve ser ingerida. Afirma-se que um valor entre 210 e 420 miligramas de cafeína já são suficientes para manter o equilíbrio, o que equivale de duas a três xícaras de café.

São justamente os valores que superam essas 420 miligramas que podem ser prejudiciais e causar grande carga de stress, além de casos de azia e osteoporose. Uma dieta balanceada unida a hábitos saudáveis no dia a dia não terá o poder de prejudicar o seu organismo de forma alguma.

Uma boa alternativa para quem quer ingerir os níveis com precisão, sem correr risco de tomar mais ou menos que o necessário é a suplementação com cafeína. É possível saber a dose exata no qual está sendo ingerida, além de perceber benefícios em atividades físicas como um maior gasto calórico, diminuição da fadiga e melhor resposta do organismo à dor.

Cuidado com a alimentação

Existem outros alimentos que, caso sejam consumidos de forma exagerada, podem prejudicar os níveis de cortisol no organismo. Vai aí uma dica: para controlar a liberação de cortisol, coma algo logo ao acordar e logo após a realização de exercícios físicos.

Listamos os outros alimentos que devem ser controlados na dieta:

  • chás (chá preto, chá verde, principalmente);
  • bebidas energéticas;
  • refrigerantes com cola;
  • alguns tipos de chocolate;
  • achocolatados;
  • medicamentos que possuem cafeína em sua composição.

Alimentos ricos em potássio também podem ser prejudiciais se consumidos quando os níveis de cortisol já estão altos, pois diminuem a absorção de sódio, que já é comprometida quando o hormônio está desregulado.

Já para balancear o nível do hormônio no seu corpo, existem aqueles que são indicados. Eles são:

  • frango;
  • ovos;
  • arroz integral;
  • abóbora;
  • soja;
  • leite;
  • alimentos ricos em vitamina b5 (amêndoas e salmão, por exemplo).

Maneiras saudáveis de diminuir o stress (e ser mais produtivo!)

Quais são, então, as melhores maneiras de ficar mais calmo e, consequentemente, conseguir ter a mesma energia que o café te promete para realizar as atividades do dia a dia? Vão aí algumas dicas:

  • pratique exercícios regularmente;
  • alimente-se de comidas saudáveis e na hora certa;
  • pense na possibilidade de recorrer aos suplementos;
  • realize atividades que te dão prazer e que não remetam à sua rotina estressante;
  • tenha uma boa noite de sono.

E então? Você conseguiu perceber a relação que cortisol e cafeína possuem e, muito mais do que isso, reconhecer que hábitos balanceados e sem exageros são ótimos para a saúde? Sabendo disso, tenha em mente que não é preciso radicalizar e cortar por completo nenhum item da sua rotina. Pratique o autocontrole e tenha uma vida mais saudável.

Agora é hora de conhecer ainda mais sobre seu corpo. Entenda como os aminoácidos podem afetar seus hormônios e garanta resultados ainda mais eficazes em seus treinos!